in , ,

Sackboy: A Big Adventure (Playstation 5) | Análise Gaming

sackboy-a-big-adventure-random-pn

Sackboy: A Big Adventure reaviva a mascote da Sony e demonstra que a PS5 poderá continuar a ser a casa de várias aventuras da personagem que nasceu no universo de Little Big Planet. Conheça a nossa opinião deste jogo.

A PlayStation apresenta várias propostas de valor para acompanhar o lançamento da sua nova consola, a PS5. Demon’s Souls para a malta da “pesada”, Marvel’s Spider-Man: Miles Morales que entretém todas as faixas etárias e Sackboy: A Big Adventure para ser jogado em família e pelos mais jovens. Isto não quer dizer que estas experiências não possam ser jogadas por outro tipo de público, mas é evidente que a Sony quis preencher a sua nova consola de jogos que pudessem agradar ao maior número de pessoas possível, e é fácil de deduzir que esta segmentação de mercado tenha sido pensada pelos executivos da Sony Interactive Entertainment. O que faz sentido, na compra de uma nova consola um dos factores que mais pesa são os jogos disponíveis, e o facto da PlayStation 5 conseguir responder aos mais variados géneros e jogadores faz com que a consola seja mais apetecível.

QH6ykCM3MHVpnYYCjYBNq3-1200-80

Sackboy: A Big Adventure é o jogo mais alegre dos exclusivos da Sony para este Natal e como que ressucita uma personagem, que embora não sendo uma das mais nostálgicas, não lhe víamos ser dada grande atenção nos últimos anos, desde o lançamento de Little Big Planet 3 em 2014. Depois do afastamento da criadora Media Molecule do universo Little Big Planet, sentia-se algum desinteresse em saber o que fazer com a franquia, até porque o 3º jogo numerado, que foi levado a cargo pela Sumo Digital, não foi tão bem recebido tanto pelo público como pela crítica. Existia uma certa fadiga em relação à série.

6 anos passados, a Sumo Digital voltou a encarregar-se da tarefa de trazer Sackboy de novo à ribalta, e fê-lo ao criar um jogo diferente daquilo a que estávamos habituados de Little Big Planet. Sackboy: A Big Adventure é um jogo de plataformas em 3D, recordando-nos de títulos como Super Mario 3D World ou Yoshi’s Crafted World na jogabilidade, mas onde é possível reconhecer a inspiração de Little Big Planet no universo. Em Sackboy: A Big Adventure controlamos o pequeno e adorável boneco numa aventura que nos leva a percorrer diferentes planetas enquanto tentamos libertar os contemporâneos de Sackboy que foram raptados por Vex, o vilão deste jogo que tenta criar o pânico na Imagisphere e que tem a voz do actor Richard E. Grant. A história do jogo é, como se esperaria, bastante simplista mas é suficiente para nos dar motivação para percorrer a campanha do jogo.

sackboy_Screenshot_1.0

E aqui está uma das grandes diferenças deste jogo em comparação com os jogos Little Big Planet. Em Sackboy: A Big Adventure não temos modos de criação, e por isso o jogo alicerça-se apenas na campanha, sendo assim mais semelhante aos jogos do género. Passei cerca de dez horas no jogo enquanto tentava derrotar o malvado Vex, e não senti falta do aspecto “criação” que fez com que LBP se destacasse dos restantes. Isto porque a campanha é divertida, variada e adorável. Mas após a campanha não me importaria de ter a possibilidade de me aventurar em novos níveis ou até mesmo criar os meus e partilhá-los com todo o mundo.

Em cada planeta temos dezenas de níveis principais, onde cada um deles é diferente, através dos inimigos apresentados, da topologia do nível ou até mesmo da música que se ouve. E falando da música, eu gostei da maior parte dos níveis presentes na história, mas é nos níveis musicais que o jogo realmente se destaca. Sem estragar a experiência, posso dizer que irão encontrar músicas muito populares que dão a vida a alguns dos níveis no jogo e que certamente o irão alegrar.

Sackboy mantém, quase inalterado, o seu conjunto de movimentos. Ou seja, continua a não ser a personagem mais veloz das plataformas, mas continua a poder esboçar diferentes expressões enquanto esbofateia o colega do lado. Para além disso, Sackboy consegue agora rebolar com um clique no botão O, fazendo recordar um certo Hedgehog azul, e pode também, dependendo dos níveis, recorrer a ferramentas que são utilizadas com um clique no R2, onde é possível sentir uma das grandes novidades do DualSense, os Adaptive Triggers. Sackboy: A Big Adventure é um dos maiores exemplos das funcionalidades do comando da PlayStation 5, através não só dos triggers, mas também do Feedback háptico, e principalmente na minha opinião, do uso que faz das colunas integradas no comando.

Sackboy Minor Section2_900x507

O jogo também aproveita bem as vantagens da nova consola, nomeadamente ao nível do SSD, fazendo com que os loadings sejam encurtados ao mínimo possível, seja ao entrar num nível, viajar entre planetas ou ressucitar depois dum mau tempo passado. Positivo, mas podia ser melhor, porque o design do jogo em certos momentos parece não querer aproveitar isso na sua plenitude, como por exemplo nas celebrações de vitória no final de cada nível. Graficamente o jogo é lindíssimo, todos os materiais presentes estão bem recriados. Olhando para a “penugem” que sai do corpo do Sackboy até pode dar a ideia que estamos a ver materiais reais, e não criados por computador. O jogo corre a 4K/60 FPS o que lhe dá aquele aspecto suave e perfeito que pretendemos num jogo de plataformas.

Se quiser jogar com mais amigos ou familiares, actualmente só o pode fazer localmente. O jogo suporta até 4 jogadores em multiplayer local neste momento, sendo esperado que o modo online chegue até final do ano. Referir que existem, ao longo do mapa do jogo, diversos níveis que só podem ser jogados com mais do que 1 jogador, mas são opcionais, não impedem a conclusão da campanha principal.

Para além desses níveis multijogador, terá também os desafios Knitted Knight caso queira extender o tempo como jogo, fazendo com que conseguir completar o jogo a 100% dure, pelo menos, 20 horas. E Sackboy: A Big Adventure pode ser sempre um jogo a que se volta quando apetecer uns serões agradáveis e calmos. O jogo consegue isso logo nas hipóteses de indumentária que Sackboy tem à sua disposição.

2020 é um ano esquecível pelas mais variadas razões. É um ano em que precisamos, mais do que nunca, de nos distrairmos em aventuras saudáveis e carinhosas. Sackboy: A Big Adventure é uma boa sugestão para toda a família e jogadores.

Sackboy: A Big Adventure é o lifting que a personagem e o universo de Little Big Planet precisava. E não é só por se jogar em 4K. Esta nova aventura consegue mexer com a fórmula, já conhecida, de Little Big Planet e dá-lhe um novo fôlego que pode ser suficiente para voltarmos a ver Sackboy com maior regularidade na PS5, do que o vimos na PS4. Pelo menos é isso que nós queremos.

 

Sackboy: A Big Adventure (Playstation 5) | Análise Gaming | CA Notícias
Sackboy: A Big Adventure (Playstation 5) | Análise Gaming | CA Notícias

Sackboy: A Big Adventure reaviva a mascote da Sony e demonstra que a PS5 poderá continuar a ser a casa de várias aventuras da personagem que nasceu no universo de Little Big Planet.

Product In-Stock: InStock

Avaliação do editor:
4
Black Friday_PlayStation Store (2)

Black Friday já chegou à PlayStation Store

"In Wonder": documentário de Shawn Mendes chega hoje à Netflix | CA Notícias

“In Wonder”: documentário de Shawn Mendes chega hoje à Netflix