CA Notícias
Canal Alternativo de Notícias, as últimas notícias do mundo do desporto, da tecnologia e do entretenimento.

Crítica: O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos (2018)

Um filme de Lasse Hallstrom e Joe Johnston

O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos é o novo filme da Disney em “live-action”, realizado por Lasse Hallstrom e Joe Johnston, protagonizado por Mackenzie Foy. Uma adaptação do conto de E.T.A. Hoffmann e do ballet de Marius Petipa, que apresenta um mundo mágico com cenários, figurinos e cinematografia belíssimos, mas que não possui nada de novo e original que já não tenha sido visto.Mv5bmtyxody0odq4m15bml5banbnxkftztgwotcwmje0ndm@. V1 Sx1500 Cr0,0,1500,999 Al


Quando Clara (Mackenzie Foy) recebe um presente que a sua falecida mãe lhe deixou, tudo o que quer é a chave que irá abrir a misteriosa caixa em forma de ovo que herdou. Na festa de Natal do seu padrinho, Drosselmeyer (Morgan Freeman), um fio de ouro leva-a à tão cobiçada chave, que faz com que desapareça para um paralelo e misterioso mundo. Este é o encaminhamento que o enredo faz para um novo universo mágico e para uma nova aventura da Disney, mas que de novo têm pouco.

O argumento não sabe verdadeiramente favorecer a magia da história. Ao longo do filme, vai deixando algumas pistas para o que poderá acontecer no final, mas que são tão cliché que apenas tornam o enredo bastante previsível e anticlimático. Antes de ser feito algum “plot-twist”, este já é tão vulgar e tão visto no grande ecrã, que não é eficaz do seu impacto, acabando por não trazer nada de novo ao género nem ter a força suficiente para se destacar.Mv5bmta5njyxnza4mtveqtjeqwpwz15bbwu4mda4mdixndqz. V1 Sx1500 Cr0,0,1500,999 Al

Outro aspecto que não favorece muito a história é o facto de o enredo ser muito parecido ao de As Crónicas de Nárnia. Seria necessário um argumento muito bem escrito e estruturado para que o enredo, ainda que parecido, conseguisse se separar do anteriormente mencionado e contar a sua própria história. O que acaba por acontecer é o relato de uma aventura com muito brilho e deslumbre, mas com pouca originalidade na sua substância. Ainda que o título do filme seja “O Quebra-Nozes”, apenas um é visto muito brevemente, e é um elemento insignificante para a história. No final de contas, o que o filme tem de melhor são os cenários, os figurinos, os efeitos visuais e a fotografia, que embelezam a história, mas obviamente não melhoram o seu conteúdo nem a sua estrutura.Mv5bmju4nze0ntqxnl5bml5banbnxkftztgwnjcwmje0ndm@. V1 Sy1000 Cr0,0,1502,1000 Al

O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos é um filme bonito, colorido, divertido e encantador, mas que não tem um suporte suficientemente capaz de o fazer brilhar. Uma narrativa muito básica, cheia de clichés que tornam tudo previsível, desinteressante e anticlimático. O enredo não consegue verdadeiramente captar a essência da história clássica, sendo apenas a estética visual que brilha neste filme.

O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos – Novo Trailer (VO)

Vê o novo trailer de “O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos”, nos cinemas a 31 de outubro! Tudo o que Clara (Mackenzie Foy) quer é uma chave – uma chave única que irá desbloquear uma caixa que tem um presente inestimável.

50%
Tudo o que Clara (Mackenzie Foy) quer é uma chave - uma chave única que irá desbloquear uma caixa que tem um presente inestimável. Um fio de ouro, que lhe foi dado na festa anual do seu padrinho, Drosselmeyer (Morgan Freeman), leva-a à tão cobiçada chave, que faz com que rapidamente desapareça para um paralelo e misterioso mundo. É lá que Clara encontra um soldado chamado Phillip (Jayden Fowora-Knight), um grupo de ratos e os regentes que governam os três Reinos: a Terra dos Flocos de Neve, a Terra das Flores e a Terra dos Doces. Clara e Phillip devem enfrentar o sinistro Quarto Reino, lar da tirana Mãe Ruiva (Helen Mirren), para recuperarem a chave de Clara e trazerem de voltar a harmonia a este mundo.
  • Miguel Ângelo

X