Crítica – Isto É Vida (2018)

Um filme de Dan Fogelman

Isto É Vida é o novo filme de Dan Fogelman, criador de This Is Us, protagonizado por Oscar Isaac, Olivia Wilde, Annette Bening, Antonio Banderas e muitos outros. Uma história bonita e trágica, com uma linha narrativa que a prejudica, acabando por não ter um tom consistente e não transmitir aquilo que pretendia.1 (3)

- Publicidade -

Quando um jovem casal passa do namoro de faculdade para o casamento e para o nascimento do seu primeiro filho, as reviravoltas da vida criam repercussões inesperadas que se estendem pelos continentes e pelo tempo. Este é essencialmente um enredo sobre a vida quotidiana, sobre relacionamentos interpessoais, acidentes, traumas, escolhas de vida e suas consequências. Uma mistura de temas que se pode tornar excessiva se não for bem gerida. Fogelman consegue desenvolver a sua históra de modo a que não se perca a coerência e a coesão de todas as narrativas que apresenta, sendo que todos os pontos de cruzamento estão bem ligados e o enredo tem a sua lógica.

1

O que realmente corre mal neste filme é a estrutura do argumento. Dividido por capítulos, cada um destes tem uma história e personagens diferentes, que apesar de se ligarem entre si, e como referido anteriormente, tudo acaba por fazer sentido, esta narrativa não consegue manter um tom e um ritmo consistente, acabando por não ter o impacto que poderia ter. Cada uma destas partes parecem episódios de uma série televisiva, que foram colados uns aos outros e condensados em 118 minutos de filme. Consequentemente, as semelhanças com This Is Us são evidentes, não só pelo género de história, mas também pela estrutura narrativa mencionada, que é muito semelhante à da série.1 (1)

Apesar de tudo, o elenco é bastante bom, destacando-se Oscar Isaac, que faz uma interpretação muito boa de uma personagem que sofre um trauma muito profundo e delicado. No final, as várias “sub plots” convergem entre si, não deixando nada por explicar. O desenlace é trágico e emotivo, mas também feliz e tranquilo, deixando enaltecida a continuidade da vida. No entanto, há uma certeza que fica no ar: a história teria funcionado muito melhor em televisão.1 (2)

Isto É Vida relata várias histórias que se entrelaçam de forma coerente e coesa, mas não consegue manter um tom narrativo consistente, de modo a ter o verdadeiro impacto que pretendia. Um filme que parece ter sido criado a partir da ideia para uma série de televisão, muito parecida com This Is Us, no que toca a estrutura narrativa. Fogelman não consegue (ou não quer) afastar-se do seu trabalho nesta série, acabando por fazer um filme que se ampara no seu sucesso, em vez de fazer o seu próprio.

60%
Quando um jovem casal de Nova Iorque passa do romance de faculdade para o casamento e para o nascimento do seu primeiro filho, as inesperadas reviravoltas da vida criam repercussões que ecoam pelos continentes e pela própria vida. O realizador e argumentista Dan Fogelman (criador de "This Is Us") examina os riscos e recompensas da vida quotidiana numa saga multigeracional protagonizada por Oscar Isaac, Olivia Wilde, Antonio Banderas, Annette Bening, Olivia Cooke, Sergio Peris-Mencheta, Laia Costa, Alex Monner e Mandy Patinkin. Situado em Nova Iorque e Carmona, em Espanha, “Isto é Vida!” celebra a condição humana e todos os seus enredos com humor, energia e amor.
  • Miguel Ângelo

- Publicidade -