in

AD Oliveirense-Belenenses, 3-2: Minuto 100 a marcar um carimbo difícil

 Só pelo facto de o minuto 100, assim bem redondo, ter sido o momento decisivo do jogo, já se percebe que o Belenenses passou muitas dificuldades para carimbar a sua continuidade na Taça de Portugal.

Perante um corajoso adversário do Campeonato Nacional de Seniores, a equipa de Lito Vidigal deu sempre a sensação de ter as coisas controlados, mas nunca conseguiu passar disso, sofrendo muito com a constante, persistente e tenaz reação da AD Oliveirense, onde mora uma equipa que estreava um novo treinador e tudo tentou para fazer história.

Com quase toda a população de Santa Maria de Oliveira, uma freguesia do concelho de Famalicão, “metida” no Estádio de Ribes, o jogo foi muito interessante, até porque, ao contrário do que se pode pensar, o Belenenses nunca facilitou, começando pela equipa que Lito Vidigal apostou, sem lugar a figuras de segunda linha na 1.ª Liga. Esse fator, de resto, foi determinante para um início de jogo em que o Belenenses depressa mostrou ao que vinha, com Miguel Rosa a abrir o ativo logo aos 9 minutos, aproveitando uma bola que lhe foi parar quase por acaso no segundo poste. Nesse momento, muita gente desenhou uma goleada no marcador, mas a equipa da casa depressa serenou os mais céticos adeptos, criando duas boas ocasiões para empatar.

O golo, no entanto, só surgiria muito perto do intervalo, com Theo Mendy, avançado cedido pelo Boavista à AD Oliveirense, a ganhar o penálti e a faturar, logrando mais serenidade para o tempo de descanso.

A segunda parte foi quase uma fotocópia. João Meira voltou a colocar os de Belém na frente do marcador, isto já depois de Léo ter negado a Deyverson essa intenção, com uma grande defesa aos 58 minutos. O guarda-redes que rendera o lesionado Marco Gonçalves, que já fez carreira no Belenenses, acabaria por ser determinante, segurando a diferença mínima até que Rodrigues voltou a empatar tudo aos 82 minutos. O prolongamento já era um bom prémio para os locais e Fábio Nunes, a última aposta de Lito Vidigal, necessitou de apenas quatro minutos em campo para selar a eliminatória, mas até ao fim ainda houve mais duas grandes ocasiões para quem saiu da Taça de Portugal com grande honra.

O homem do jogo: Theo Mendy

O avançado cedido pelo Boavista foi uma dor de cabeça para o Belenenses. Ganhou o penálti que marcou e assistiu Rodrigues de calcanhar para o segundo golo.

Árbitro

Marco Ferreira (nota 4)

Não foi um jogo fácil, mas Marco Ferreira soube segurar as pontas. O árbitro da Madeira decidiu sempre bem e no penálti de Miguel Rosa sobre Mendy ninguém protestou.

Momento

Ao fim de quatro minutos em campo, Fábio Nunes recebeu uma bola na direita, passou por dois adversários e rematou seco e colocado de pé esquerdo. Decidido!

Número

14 É a prova final de que a Oliveirense soube equilibrar o jogo com um opositor de 1.ª Liga. Foram 14 os remates, tantos como os do Belenenses.

Fonte: Record

Andebol: Resultados do fim de semana

Video: Resumo AD Oliveirense – Belenenses