em

Rescaldo: Sonho continua graças à caça aos Dragões

Penúltima jornada da edição de 2014/2015, da Liga Portuguesa. No Restelo, o Belenenses empatou com o F. C. Porto, mantendo-se na luta pela Europa e afastando o último da luta pelo título.

O Belenenses apresentou-se, com vem sendo habitual e como o será na ultima jornada, desfalcado, fruto das lesões de Rosa e Palmeira e, fundamentalmente, sem o seu ponta de lança titular, Rui Fonte, que ficou de fora por castigo. Assim, o Belenenses jogou com Ventura, Nélson, João Afonso, G. Brandão, Filipe Ferreira, Pelé, R. Dias, C. Martins, Fábio Nunes, Sturgeon e Camará. Do lado do Porto, Lopetegui fez alinhar Hélton, Danilo, Maicon, Indi, Alex Sandro, Rúben Neves, Herrera, Óliver, Quaresma, Brahimi e Jackson.

O jogo começou morno porém, com a barreira dos 10 minutos ultrapassada o Belenenses superiorizou-se. Primeiro aos 12 minutos, na primeira grande oportunidade do jogo, Camará atira ao lado, num lance em que se encontrava em grande posição para marcar. Aos 20 minutos, num passe errado de Quaresma, o mesmo Camará isola-se porém, falha a recepção e desperdiça a segunda oportunidade de inaugurar o placar. A avalanche azul continuou e, aos 22 minutos, num grande cruzamento de Filipe Ferreira, Camará e Sturgeon não conseguem chegar e materializar a bela jogada do colega. A primeira oportunidade do Porto apenas surgiu perto da meia-hora com Herrera a falhar isolado, frente a Ventura. Até ao final da primeira parte, mais pragmático o Belenenses que volta a criar perigo junto da balia à guarda de Nélson. Em cima da meia-hora, Sturgeon passa pelo guardião azul e branco mas no último toque perde ângulo acabando por atirar à malha lateral e na jogada imediatamente a seguir Fábio Nunes não decide rápido, em situação de superioridade numérica, e cruza sem o destino desejado. Em cima do intervalo chega o balde de água fria com o golo de Jackson, numa jogada em que o colombiano, assistido por Alex Sandro, antecipa-se a Brandão e empurra para a baliza belenense, fazendo o 1-0.

A segunda parte tem menos história que a primeira. De destacar a luta da equipa de Jorge Simão que nunca atirou a toalha ao chão e, aos 84 minutos, chega ao mais que merecido tento. Dálcio (que entrou na segunda parte) constrói pela direita, cruza, Camará deixa passar e Caeiro antecipa-se e faz balançar as redes portistas. Prémio mais que merecido para a equipa que criou mais perigo e que bateu pé a um dos candidatos ao título de igual para igual.

Com todos os apitos a soarem, o Belenenses vê-se a 2 pontos do Paços de Ferreira (venceu a Académica 3-2) que, na última jornada viaja a Madeira e encontra o Nacional, um dos clubes na luta pela Europa. Em caso de derrota dos pacenses e de vitória azul no reduto do Gil Vicente, já despromovido, a festa será dos pastéis no próximo fim-de-semana.

O sonho mantém-se vivo e a Europa continua a ser possível.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Resultado Final: Santa Clara 2 vs 1 Belenenses

SAD impede Fúria Azul de apoiar a equipa no último jogo em casa

Último treino da época

Jorge Simão: “O empate não sabe a vitória”.