em

Rescaldo: Belenenses x Paços de Ferreira

À entrada para esta antepenúltima jornada o Belenenses recebia o Paços de Ferreira. Um Belenenses afastado da luta pela Europa recebia um Paços com fortes ambições e ainda na corrida para esse objectivo.

Júlio Velázquez continuou sem poder contar com alguns jogadores tendo apresentado um onze remendado e um banco de suplentes com apenas cinco atletas. Face às limitações o técnico espanhol enviou para campo Ricardo Ribeiro, Tiago Almeida, Rafael Amorin, Gonçalo Brandão, Fábio Nunes, Rúben Pinto, André Sousa, Tiago Silva, Sturgeon, Miguel Rosa e Juanto.

Do lado do Paços, Jorge Simão entrava no Restelo sem um lateral direito de raiz e resolveu lançar o júnior Francisco Afonso para colmatar essa lacuna. O Paços começou a partida com Rafael Defendi, Francisco Afonso, Fábio Cardoso, Ricardo, Hélder Lopes, Pelé, Rodrigo Antônio, Barnes Osei, Minhoca, Diogo Jota e Bruno Moreira.

O jogo começo com os visitantes a carregar, tendo chegado a ameaçar a baliza de Ricardo Ribeiro algumas vezes nos primeiros 5 minutos. De destacar um remate por cima, de Bruno Moreira, com apenas o guarda-redes azul pela frente aos 4 minutos. O Belém reage a estes primeiros 5 minutos pacenses com um cabeceamento ao poste por parte de Gonçalo Brandão, após canto de Tiago Silva com 6 minutos de jogo. O Belenenses continuava à procura de anular o bom início dos visitantes e nos minutos que se seguiram orquestraram algumas jogadas de belo efeito. Aos 14 minutos Tiago Silva lança André Sousa que, já na área, amortece para o remate de Sturgeon, possibilitando uma bela defesa a Denfendi. Apesar da equipa da casa ter passado para o comando das iniciativas de jogo foi o Paços que se adiantou. Aos 21 minutos Minhoca encontra Barnes Osei descaído para a direita do ataque e, com um remate forte, o avançado ganês do Paços bate Ricardo Ribeiro fazendo o 1-0 para os visitantes. Após o golo da turma da Capital do Móvel, o Belenenses tenta reagir e consegue criar perigo na baliza de Rafael Defendi. À entrada para a meia-hora de jogo Fábio Sturgeon arranca um cruzamento pela direita do ataque e encontra Juanto que, entre os defesas pacenses, cabeceia ligeiramente ao lado da baliza. Até final não houve muitos destaques.

Intervalo com resultado favorável ao Paços fruto do golo de Barnes. A primeira metade foi muito dividida com alguns momentos mais esclarecidos do Paços, especialmente nas saídas para o ataque. O Belenenses também dispôs das suas oportunidades e superiorizou-se ligeiramente no que à posse de bola diz respeito, reflexo do facto de estar em desvantagem em casa.

À entrada para a segunda parte o técnico Júlio Velázquez faz entrar Carlos Martins para a saída de Tiago Silva. Do lado do Paços entra a mesma equipa que iniciou o jogo. A segunda metade quase que abre com o segundo golo do Paços, aos 52 minutos. Barnes, pela direita, cruza para Minhoca que já no interior da área deixa para Pelé que faz o 2-0 para os visitantes. Pelé não festejou o golo marcado frente à sua ex-equipa. O Belenenses tentou reagir e Carlos Martins testa o seu remate com a bola a sair por cima da baliza de Defendi. À entrada para a última meia-hora de jogo ambos os técnicos procedem a alterações com as entradas de Bakic e Andrézinho e saídas de Fábio Nunes e Minhoca nos azuis e pacenses, respectivamente. O jogo entrou numa fase mais morna com o Paços confortável na partida e o Belenenses a procurar reagir à desvantagem. Aos 70 minutos os técnicos voltam a mexer em simultâneo. Jorge Simão vê-se obrigado a tirar Barnes, o autor do primeiro golo, por lesão e a fazer entrar Cícero. Velázquez, numa tentativa de ter uma presença mais afirmativa na área contrária, coloca Tiago Caeiro e faz sair Juanto Ortuño. As substituições mexeram um pouco com a partida e, à entrada para o último quarto de hora, ambas as equipas dispuseram de boas oportunidades. Ricardo Ribeiro faz uma defesa de alto nível após o remate de Rodrigo António, aos 75 minutos e, passados 2 minutos, o mesmo Rodrigo António, isolado, hesita e passa a um colega, vendo o passe interceptado por Rúben Pinto. Num momento de parada e resposta o Belenenses chega com perigo por intermédio de Miguel Rosa que, sem grande pressão, cabeceia em esforço e não acerta no alvo. De seguida, aos 79 minutos, Cícero volta a incomodar a defesa azul com um remate que não passou longe e, dois minutos volvidos, Carlos Martins isola Sturgeon que não consegue concretizar, na cara de Defendi. O Belenenses procurava o golo que reduziria a vantagem dos pacenses e, aos 85 minutos, Tiago Caeiro, após um livre lateral, cobrado por Carlos Martins, não consegue concretizar. Até final o marcador não sofreu alterações.

O Restelo recebeu o seu penúltimo jogo da época com uma derrota do Belenenses frente ao Paços de Ferreira. A equipa visitante foi mais eficaz com as oportunidades de que dispôs. O Paços continua na luta europeia e o Belenenses não ganha desde o jogo em Setúbal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Acabou a Época 2013/2014

“Adoro o Belenenses desde o primeiro dia que cheguei ao clube”

Lito Vidigal tem opção

Futsal: Belenenses perdeu na receção à Quinta dos Lombos