in

Miguel Rosa: «Quando me chamarem, direi presente»

CA Notícias | Entretenimento, desporto, tecnologia e lifestyle

Miguel Rosa já se despediu dos adeptos do Belenenses, com um “até já”.

Como já aqui tínhamos referido, Miguel Rosa deixou o Belenenses para reforçar o plantel do Cova da Piedade e a confirmação dessa saída chega por intermédio de um texto de despedida do próprio para os adeptos do emblema do Restelo.

Muito se poderia escrever sobre as palavras do médio criativo, mas no seu texto fica patente o seu sentimento neste momento de despedida.

[su_quote cite=”Miguel rosa” url=”https://www.facebook.com/miguel.rosa.501/posts/10212466350791708″]“quando eu estiver a morrer, não me levem ao hospital, levem me a Anfield, ali nasci e ali morrerei“ Nunca esta frase de Steven Gerard quando deixou o Liverpool fez tanto sentido para mim.

Hoje é o dia em que digo“até já“ a toda a nação Belenenses. A grande questão aqui é que mais do que a minha nação o Belenenses é a minha família e a família da minha família.

Digo até já e não adeus porque e citando as mesmas palavras que Buffon usou para a sua Nação Italiana: sou um soldado e Belém é a minha pátria, um soldado não deserta e quando me chamarem direi presente! O Futebol é feito de ciclos mas tenho a certeza que esta ligação não tem sequer ciclos mas sim uma linha de continuidade emocional infinita.

É com a minha filha Carolina Rosa sócia 7838 do Belenenses ao colo que escrevo estas palavras, é a olhar para todos os troféus individuais e conquistas colectivas que escrevo estas palavras ..

Foram 198 jogos, 45 golos, subidas de divisão, manutenções, uma média de 30 batalhas por ano com a Cruz de Cristo ao peito!

O meu objectivo para esta época era simples: Depois dos 35 jogos o ano passado, tinha o sonho de atingir o numero de 200 jogos com a camisola deste enorme clube! Por uma questão pura e única de gestão de carreira não o farei esta época. Mas mesmo hoje, tenho a certeza que um dia o farei!

Não sei se o Belenenses foi o meu primeiro amor mas é claramente o amor da minha vida. Aqui fiz-me homem, aqui cresci, aqui chorei, aqui eu fui feliz, aqui eu vivi.

Ao longo dos anos, muitos me perguntavam porque não aceitava as propostas de outros clubes nacionais e internacionais, propostas onde poderia ganhar 10x mais financeiramente. Se pensei nelas? Claro

Se hesitei na hora de decidir? Nunca.

Sempre que a cada manhã chegava ao Restelo e sentia toda a história e mística do Clube percebi cedo que a efemeridade não tem preço. Pertencer ao legado de lendas como Matateu, Vicente ou Pepe.. esse era o contrato da minha vida, essa era a minha cadeira de sonho! Quando se falava em ídolos, estes são os meus!

Não consegui atingir certamente tão lendário estatuto mas dei o meu melhor e fiz desse objectivo e privilégio a minha grande ambição e fonte de inspiração!

Poderia destacar muitos elementos na hora de agradecer, mas seria injusto para os adeptos colocar sequer alguém ao nível deles!

O espaço de agradecimento é exclusivamente para eles, os adeptos deste clube! Neste momento e mais do que nunca serei um dos vossos e estarei ao vosso lado a vibrar e lutar em todas as batalhas!

“tudo na vida tem um limite, menos o meu amor pelo Belenenses“..“Orgulho em ser Belenenses“para sempre

Miguel Rosa, sócio número 7839[/su_quote]

CA Notícias | Entretenimento, desporto, tecnologia e lifestyle

“O Livro do Pó” é a primeira novidade da Editorial Presença e já está à venda

Crítica: “The Commuter – O Passageiro”

Passatempo Cinema: Convites duplos para antestreia de ‘THE COMMUTER – O Passageiro’ em IMAX no Porto