CA Notícias, as últimas notícias do mundo do desporto, da tecnologia e do entretenimento. Os últimos resultados, lançamentos, estreias.

Deftones no Super Bock Super Rock 2017-“I Could Float Here Forever”

Resumo do concerto no último dia do festival

Mário Vasa | World Academy | Super Bock Super Rock

Se os Red Hot Chili Peppers esgotaram os bilhetes, os Deftones esgotaram as nossas energias e emoções. O melhor do último dia da 23ª edição do festival Super Bock Super Rock

A 23ª edição do festival Super Bock Super Rock ficou marcada logo em Outubro do ano passado pelo anúncio dos Red Hot Chili Peppers. A banda californiana foi a principal responsável pelos passes gerais de 3 dias esgotados, mas não era a única formação vinda da Califórnia a suscitar grande curiosidade no público festivaleiro. Os Deftones já não vinham a Portugal desde 2010 (e curiosamente nesse ano actuaram por 3 vezes em Lisboa) e a ansiedade dos fãs por este regresso era palpável.

Às 22 horas em ponto deste Sábado, começam-se a ouvir os primeiros segundos de “Hearts & Wires” que poderiam indiciar que o alinhamento musical do concerto iria ser baseado no último álbum “Gore”, que ainda não entranhou nos fãs da formação liderada por Chino Moreno. Longe disso. Os Deftones vieram a Portugal para inundar o público presente na MEO Arena com uma enxurrada de clássicos de uma banda que já tem quase 30 anos de história. De “Gore” apenas ouvimos a tal introdução e “Phantom Bride”. Reconheço que não sou o maior fã deste último registo, mas gostaria de ter ouvido mais de “Koy No Yokan” (tocaram “Rosemary” e “Swerve City”), álbum que mudou definitivamente o olhar crítico sobre a banda e marcou a distância dos restantes grupos de nu-metal.

“Headup” e “My Own Summer (Shove It)” de “Around The Fur” marcam o início, pesado, do espectáculo.
Chino a dar tudo o que tem em palco, em completa sintonia com o público. Abre-se um mosh na frente da plateia, e daí até ao final do concerto o mosh repete-se constantemente. Nas bancadas, o ambiente não era semelhante. A maior parte dos espectadores nas bancadas não deveriam ser fãs da banda, mas sim curiosos com pulseira de três dias. E ainda bem que foram conhecer o concerto dos Deftones, pois foi sem margem para dúvidas o melhor concerto do dia, e possivelmente do festival (pelo menos do que conseguimos assistir).

Enquanto que nas bancadas a recepção era morna, na plateia cantava-se (ou gritava-se dependendo das músicas em questão), saltava-se e as emoções transbordavam tudo aquilo que se tinha visto nesta edição do festival. Exemplo máximo disso quando na “Knife Prty”, Chino Moreno desce às grades para interagir com os fãs. A emoção era tal que leva fã a abraçar Chino Moreno como se não houvesse amanhã. Chino aí fica durante um minuto enquanto trauteava a letra da música – “Ohh I Could Float Here Forever”. O momento mais bonito e genuíno do festival.

Depois desse momento mais íntimo, mais uma pedrada no charco, impedindo que o público se acalmasse. Sequência vencedora com “Change (In the House of Flies)”, “Back to School (Mini Maggit)”, “Be Quiet and Drive (Far Away)” e “Rocket Skates”. À beira do encore, e o público não quer que eles voltem tão rapidamente para os Estados Unidos da América.

Para o encore, os californianos deixam 3 clássicos tirados do baú. “Bored” e “Engine No. 9” pertencem ao longíquo “Adrenaline” de 1995 e “Teething” da banda-sonora do filme “The Crow: City of Angeles” de 1996.

Os Deftones podem ser para muitos (apenas) uma banda de nu-metal, e para outros apenas uma lembrança da adolescência passada, mas a verdade é que continuam a transformar-se musicalmente e a chegar a pontos que nenhuma outra banda saída do género conseguiu. Apesar de ontem o alinhamento ter sido composto basicamente pelas músicas que despontaram nesse género (podem voltar rapidamente para fazer um concerto só de “White Pony” ou de “Around The Fur”, não nos importamos), recomenda-se a audição dos mais recentes álbuns da banda para que se perceba a evolução sonora dos californianos.

Contas feitas, se os Red Hot Chili Peppers esgotaram os bilhetes, os Deftones esgotaram as nossas energias e emoções.

SETLIST

Headup
My Own Summer (Shove It)
Swerve City
Digital Bath
Elite
Diamond Eyes
Phantom Bride
Knife Prty
Change (In the House of Flies)
Back to School (Mini Maggit)
Be Quiet and Drive (Far Away)
Rocket Skates
Rosemary

Encore:
Bored
Teething
Engine No. 9

Red Hot Chili Peppers no Super Bock Super Rock – 34 anos não se resumem numa 1h30

X