CA Notícias
Canal Alternativo de Notícias, as últimas notícias do mundo do desporto, da tecnologia e do entretenimento.

“Castle Rock” – Análise “Habeas Corpus” #S01E02

“Habeas Corpus” foi o nome do segundo episódio de “Castle Rock”.

“Habeas Corpus” foi o nome do segundo episódio de “Castle Rock, a série baseada no mundo fictício de Stephen King.


Muito aconteceu neste episódio, mas vamos apenas centrar-nos no mais importante. Em primeiro lugar, uma das grandes revelações deste episódio esteve relacionada com o ex-diretor da prisão de Shawshank, Dale Lacey. Num certo momento, percebemos as razões pelas quais este manteve preso o rapaz: “o diabo reside no corpo de um rapaz”, são as palavras narradas neste episódio. Mas será que devemos acreditar nisto? Bem, todos consideravam Lacey um bom homem, como já foi referido. Por sua vez, desde que o tal rapaz foi encontrado aprisionado, começaram a acontecer coisas estranhas na prisão – incluindo um polícia que vê coisas estranhas a acontecerem.

Mv5bnzblngm2yjmtmzqxoc00zjq1ltg5mdetn2zmmzdknwq2yjc5xkeyxkfqcgdeqxvyntayodkwoq@@. V1

Em segundo lugar, é inevitável referir uma personagem bastante sinistra: Molly, que a uma primeira vista parecia uma espécie de stalker. Percebemos agora que esta conhece Henry Deaver desde que ambos eram pequenos, pois era a sua vizinha. Molly parece saber algo mais e até mesmo ter algum poder que a permite ter um conhecimento para além do que seria normal.

Percebemos, desde já, que Henry Deaver não é bem recebido em Castle Rock, talvez pela misteriosa morte do seu pai – da qual ele é o principal suspeito. Neste episódio tivemos mesmo conhecimento da história (em princípio falsa) que é contada na cidade: “o Pastor Deaver acolheu um jovem órfão. Um rapaz estranho. Certo dia levou-o para o lago e este empurrou-o, deixando-o às portas da morte. O rapaz desapareceu durante onze dias e depois fez de conta que não se lembrava de nada”.

Mv5bytvimtvmyjctntq5ni00mzkzltlmzgitnjy1odllyzbjzgi2xkeyxkfqcgdeqxvyntayodkwoq@@. V1

O mistério em “Castle Rock” continua a aumentar, mas durante este episódio sentimos que começamos a ter algumas pistas para o que poderá vir a acontecer, para além de que somos presenteados com inúmeras referências a outras obras de Stephen King – o que é sempre agradável para os fãs.

A série mantém o tom negro com que se apresentou no primeiro episódio, especialmente durante as cenas na prisão de Shawshank.

Não há muito mais a dizer, por isso ficamos à espera do próximo episódio com a esperança de que nos traga algumas revelações. Mantemos apenas uma certeza: nem tudo em Castle Rock é o que parece ser.