em

Antevisão: Na Luz para não deixar voar a águia

Luz maldita. São já mais de 500 minutos sem marcar um golo e sem pontuar no Estádio da Luz. O último treinador a ser bem logrado em caso do Benfica foi Marco Paulo em 2013. Desde aí o Belenenses tem sido goleado e vergado frente aos encarnados. Quim Machado parece disposto a mudar a história e o bom momento da equipa indica aliada a uma boa coesão defensiva indicam que, desta vez, não serão “favas contadas”. Assim se espera que seja o duelo da jornada 25.º da Liga NOS, que terá lugar segunda-feira às 20h no Estádio da Luz.

É um Benfica de orgulho ferido que se vai apresentar frente aos azuis do Restelo. As águias vêm de uma derrota pesada em Dortmund (4-0) e a pressão imposta pelos resultados positivos do FC Porto podem ditar uma equipa mais focada e aguerrida que o normal – isto apesar do mau momento em termos exibicionais que atravessam. Com um futebol menos atrativo e mais pragmático, os pupilos de Rui Vitória têm adotado uma postura resultadista que não é normal nesta nova era encarnada. Com um meio-campo remendado e com a falta de Jonas, o Benfica não terá a mesma acutilância ofensiva que costuma apresentar e é defensivamente que as águias mais têm tremido. Pizzi está em forma e será um perigo para os laterais azuis. Por outro lado, há Mitroglou que faz dos golos ao Belenenses um dos seus maiores predicados. O carrossel ofensivo não está oleado, no entanto, será sempre perigoso e aproveitará qualquer desatenção para ser eficaz.

Os homens da Cruz de Cristo, por seu turno, estão motivados e convencidos de que podem mudar a história recente dos confrontos frente aos encarnados. Com Maurides como novo homem-golo azul e Miguel Rosa de volta à boa forma, o Belenenses acredita mais do que nunca que pode levar de vencida a turma benfiquista. Num esquema tático mais oleado e com menos permeabilidade defensiva – assim o ditam os 22 golos sofridos -, Quim Machado não é treinador que se deixe surpreender frente aos denominados “grandes”. Se melhorar a criatividade no último terço e permitir que o meio-campo tenha mais liberdade, a surpresa pode acontecer. Yebda não vai a jogo e isso pode ser positivo para os azuis. André Sousa deve voltar ao onze e com ele a estabilidade tática e acutilância na zona intermédia, algo que o argelino não consegue oferecer. O contra-ataque pode voltar a ser uma das chaves da equipa que conta com uma boa propensão ofensiva de Florent para explorar a ala direita benfiquista. Poderá ser penoso na hora de defender, visto o francês derivar muitas vezes de posição.

Um duelo histórico com equipas com um semblante distinto. O Belenenses vem – pela primeira vez esta temporada – de duas vitórias seguidas e as águias querem focar-se no campeonato depois da dura eliminação da Champions. Em termos de resultado não há certezas, mas quanto à vitalidade do jogo, não há dúvidas.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Último treino da época

Rui Vitória: “Temos doze finais. Amanhã é a primeira”

You Me At Six – Night People arrancou em Lisboa