“The World of Hans Zimmer” – Uma noite de comunhão entre cinema e música

Ontem Lisboa recebeu “The World of Hans Zimmer”, com a cereja no topo do bolo no final do espectáculo, com a aparição do próprio Hans Zimmer, levando ao gáudio as dezenas de milhares de fãs no Altice Arena. Saiba como correu o concerto de ontem.

Com uma Altice Arena repleta, pese embora a existência de um derby de Lisboa no Estádio de Alvalade, o ambiente era de celebração e de grande interesse em ouvir algumas das bandas-sonoras mais icónicas do mundo do cinema. Hans Zimmer, um dos compositores mais reconhecidos da actualidade, compôs a banda-sonora de filmes como “Piratas das Caraíbas”, “Interstellar”, “Gladiator”, “Inception”, “Dunkirk”, “The Dark Knight” e “O Rei Leão”. Compreende-se facilmente o porquê dos bilhetes para este espectáculo terem esgotado, mesmo com o aviso de que Hans Zimmer não estaria presente. Zimmer trabalhou em alguns dos filmes mais importantes de Hollywood e que fazem parte da vida de muitos.

Sob a direção de Gavin Greenaway, a grande orquestra sinfónica apresentou durante a noite trabalhos do compositor, revelando-se numa intensa e inesquecível experiência. Com uma setlist que passou pelas maiores bandas-sonoras de Zimmer, todos os presentes terão certamente celebrado algumas das escolhas no alinhamento, apesar de ter sido algo desequilibrado. Se os momentos musicais de “Gladiator”, “The Dark Knight”, “Spirit” ou de “O Rei Leão” funcionaram, outros não tão bem, tais como o de “Madagascar”, “King Arthur” ou de “The Da Vinci Code” (talvez devido à sua excessiva extensão).

Uma orquestra mais do que competente, interpretando todos os detalhes da música de Zimmer, foram circundados por um espectáculo de luz e cor digno das maiores produções que têm passado por Portugal. Em cada momento musical apresentado, os espectadores assistiam a cenas dos filmes em questão, ou versões estilizadas sobre os mesmos, acabando por destacar (ainda mais) a música que se ouvia.

Entre as músicas, tínhamos direito a uma pequena apresentação em vídeo do próprio Zimmer, explicando os motivos que o levaram a cada criação e à aceitação dos trabalhos, e em muitos desses vídeos, Zimmer era acompanhado por outros elementos responsáveis por esses trabalhos, tanto realizadores dos filmes apresentados (como Ron Howard) ou outros músicos. Com estes interlúdios, o compositor revelava factos (até aqui desconhecidos) sobre os filmes. Sobre “O Rei Leão”, ficámos a saber que a banda-sonora foi escrita num momento difícil para a África do Sul, pouco antes da eleição que levou Mandela a tornar-se presidente do país, e por isso as letras de Lebo M., nascido na África do Sul, para esse filme eram muito políticas, o que levou Hans e Lebo a pensar em mentir à Disney sobre os motivos e as traduções das letras. Outro momento interessante revelado por Zimmer, é que ele sempre pensou em “Hannibal” como uma história romântica entre Clarice Sterling e o serial-killer Hanibbal Lecter, e por isso a música do filme foi apresentada realçando essa leitura por Hans Zimmer.

Enquanto nos aproximávamos do fim, sentia-se que faltava um momento Wow, de forma a que concerto se aproximasse dos filmes em que Zimmer costuma trabalhar. E esse momento ficou guardado para a “Time”, criada para o filme de Christopher Nolan “Inception”. A música que poderá ser a mais icónica da carreira do compositor começa a ser ouvida na Altice Arena com Zimmer ao piano no vídeo a passar nos ecrãs por trás da orquestra, sendo acompanhado pelos músicos presentes na Altice Arena. Depois quando começamos a ouvir o inconfundível solo de guitarra de “Time”, eis que entra Hans Zimmer em palco, coroado com uma ovação em pé de todos os presentes e assim continuou até final, terminando com “Piratas das Caraíbas”.

Se é fã da música criada por Hans Zimmer e não conseguiu assistir ao espectáculo de ontem de “The World of Hans Zimmer”, tem outra oportunidade em Dezembro, com uma data extra anunciada na noite de ontem.

“The World of Hans Zimmer” com data extra em Lisboa

“The World of Hans Zimmer” ofereceu um vislumbre significativo da carreira do compositor, e a surpresa guardada para o momento musical de “Inception” revelou-se extremamente certeira. Hans Zimmer aparenta saber tanto de música como de cinema, e o concerto de ontem poderá ter sido o concerto mais cinematográfico que já assisti. Cinema e Música podem e devem andar de mão dada, e Zimmer sabe-o como ninguém.

SETLIST

         Set 1

  1. The Dark Knight
  2. King Arthur
  3. Mission Impossible 2 (with Lisa Gerrard)
    Play Video
  4. Pearl Harbor

    Play Video

  5. Rush

    Play Video

  6. The Da Vinci Code

    Play VidSet 2

  7. Madagascar

    Play Video

  8. Spirit – Stallion of the Cimarron

    Play Video

  9. Kung Fu Panda

    Play Video

  10. The Holiday

    Play Video

  11. Hannibal

    Play Video

  12. The Lion King

    Play Video

  13. Gladiator (com Lisa Gerrard)

    Play VideoEncore:

  14. Inception (com Hans Zimmer)

    Play Video

  15. Pirates of the Caribbean