“The Walking Dead” – Análise “Evolution” #S09E08

“Evolution” foi o nome do nono episódio de “The Walking Dead”.

Parece que a nona temporada ainda agora começou, mas já chegamos à mid-season finale e, consequentemente, vai começar a espera pela continuação de “The Walking Dead”.

- Publicidade -

“Evolution” foi o nome deste oitavo episódio, derivado de uma teoria que Eugene lança acerca de os walkers estarem a evoluir e, por esse motivo, terem aprendido a falar. Mas já lá vamos…

Michonne

Vamos começar por Michonne e pelo novo grupo, que finalmente chegaram a Hilltop, onde foram recebidos com uma certa suspeita. Vamos ser sinceros: Michonne está a tornar-se num pequeno problema. A sua súbita arrogância para com todos os outros é demasiado forçada e está a tornar uma das personagens mais adoradas da série numa personagem maçadora, cujas atitudes estão a começar a ser bastante difíceis de se perceber.

Henry

Em Hilltop temos também Carol e Henry, que agora é aprendiz de ferreiro (e que começa a ganhar a nossa simpatia). No entanto, depois de conhecer alguns membros da sua idade na comunidade, Henry revela que é o único ali que conhece a “realidade” e consegue defender-se propriamente dos walkers. O miúdo cresceu!

Ao mesmo tempo, temos também o ponto da situação em Alexandria: Gabriel fica responsável por tomar conta de Negan. Mas aqui apenas temos de nos focar numa coisa: Negan consegue escapar, depois de a sua cela ficar aberta. E pelo olhar dele, o mais provável é voltar a ser o velho Negan que conhecemos… Little pig, little pig, let me in!

Negan

Agora, vamos regressar a Eugene. Aaron, Daryl e Jesus partem em busca de Eugene, que ficou escondido num celeiro, pois estava ferido. Quando o encontram, percebem que estão a ser perseguidos sempre pelo mesmo grupo de walkers. Então, o grupo divide-se e Daryl tenta despistá-los, mas é nesse momento que percebe que os walkers não estão a ir atrás do barulho que ele está a fazer e é como se estivessem a ser comandados.

Aaron, Jesus e Eugene acabam por ficar encurralados e é aí que se dá o momento alto do episódio. Quando estava a enfrentar os walkers, Jesus é morto por um, que lhe sussurra que ele não pertence ali. E assim foram introduzidos os Sussuradores (Whisperers)!

Acerca de Jesus, claro que foi uma morte triste, mas depois de o termos visto a “borrifar-se” para a liderança de Hilltop, talvez já fosse esperado que algo lhe acontecesse, de modo a haver um novo líder. Apesar de ter sido uma personagem importante, podemos dizer que Jesus também não teve um grande desenvolvimento, por isso não chegou a tornar-se numa daquelas personagens cujas mortes realmente nos chocam. Não é verdade? No entanto, pela reação de Aaron à sua morte, podemos mesmo pensar que estava a começar a haver alguma relação entre os dois.

Sussuradores

O episódio terminou com um pequeno cliffhanger em que Michonne, Aaron, Eugene e o novo grupo estão no meio do nevoeiro, prontos a enfrentar novos Sussurradores que possam aparecer e atacar.

No geral, este foi um episódio bastante bom. As cenas da perseguição dos walkers no meio do nevoeiro foram bastante bem concebidas, com algum dramatismo e uma boa banda sonora a acompanhar que aumentou o suspense.

A introdução dos Sussuradores também foi um ponto alto. Não foi apressada e foi inesperada – sim, sabíamos que um Sussurador podia atacar a qualquer momento, mas não estávamos à espera que atacassem naquele momento. Por sua vez, a revelação dos próprios Sussuradores, com Daryl a retirar uma máscara de zombie da cara de um deles também foi bastante interessante. De um modo tão simples, ficámos a saber que existe um novo perigo em “The Walking Dead”.

Agora resta-nos esperar que “The Walking Dead” volte com a continuação desta temporada…

- Publicidade -