em , ,

Scott Matthew e Anna von Hausswolff hoje no MISTY FEST

Arrancou ontem o MISTY FEST 2018, em Coimbra, no Convento São Francisco, que continuará a ser palco de vários concertos até ao próximo dia 25 de novembro. Para hoje a música continua a correr as principais salas do país, desta feita com Scott Matthew, em Coimbra e Anna von Hausswolff, no Teatro Tivoli BBVA.

Os dois concertos terão inicio às 21h30 e os bilhetes ainda estão à venda.

Scott Matthew, que atua no Grande Auditório do Convento de São Francisco, em Coimbra, o primeiro anúncio do MISTY FEST para 2018 trará “Ode To Others” num novíssimo concerto que tem arrancados os mais veementes elogios da crítica internacional.

Scott Matthew, cantor australiano há duas décadas a viver em Nova Iorque, descobriu nos últimos anos uma espécie de segunda casa em Portugal, mercê da sua parceria com Rodrigo Leão que além de um par de momentos isolados na discografia do compositor português rendeu ainda o álbum Life is Long, de 2016, e várias e importantes apresentações ao vivo.

“Ode to Others” é o novo álbum com que Scott Matthew pretende não apenas fincar os pés em 2018, mas também perspectivar o futuro a partir de uma outra atitude de vida e de criação artística: É o primeiro álbum que escrevo que não se prende com o amor romântico. Apesar de haver um certo ar de romance no disco, não está ligado de forma alguma ao meu amor romântico pessoal. É acerca de pessoas e de lugares que não se relacionam com a minha dor romântica mais imediata, esclarece o cantor.

À mesma hora, mas em Lisboa, subirá ao palco do Teatro Tivoli BBVAAnna von Hausswolff, com o seu mais recente trabalho, Dead Magic. Apoiando-se sobretudo nas texturas solenes e algo fúnebres do orgão, instrumento cuja sonoridade tanto o tornou em essencial recurso para os compositores que assinaram requiems como para os autores de bandas sonoras que escreveram peças para filmes de terror, Anna von Hausswolff conta ainda com a sua voz de soprano, que já lhe valeu comparações a Kate Bush, como uma das mais distintivas marcas da sua arte.

Com canções longas e profundas, Anna von Hausswolff parece explorar, em disco como em palco, os mais obscuros recantos da alma humana. O britânico The Guardian descreveu o mais recente trabalho de von Hausswolff como o mais negro e profundo da sua carreira e como “um ópus ambicioso”. Escutá-la ao vivo é uma das mais arrebatadoras experiências que a música contemporânea pode proporcionar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

“As Canções da Maria” chega às 20 milhões de visualizações no Youtube

Belenenses vence o Carregado por 3-1 e segue em frente na Taça

Belenenses vence o Carregado por 3-1 e segue em frente na Taça