CA Notícias
Canal Alternativo de Notícias, as últimas notícias do mundo do desporto, da tecnologia e do entretenimento.

Rescaldo: O Belenenses sonha e faz sonhar

O St. Jakob-Park recebeu hoje o Belenenses que jogava com o favorito Basileia. Esta noite o favoritismo deu lugar ao crer e raça azul que arrecadou três pontos muito importantes no terreno do campeão suíço.


Ricardo Sá Pinto fez alinhar de início Ventura na baliza, João Amorim, João Afonso, Gonçalo Brandão e Filipe Ferreira na defesa, Tiago Silva, Rúben Pinto e André Sousa no miolo e Kuca, Luís Leal e Sturgeon na frente.

Já a equipa da casa, Basileia, iniciou o jogo com o guardião Vailati, M. Lang, Suchy, Samuel e Safari mais recuados, Xhaka, Kuzmanovic e Gashi no meio e, finalmente, Delgado, Janko e Embolo no ataque.

A primeira parte fica pautada pela grande personalidade exibida pela equipa portuguesa. O Belenenses entrou a pressionar bastante a saída de bola dos suíços que, mesmo assim, foram os primeiros a criar perigo aos 6 e 11 minutos, com Ventura em grande plano em ambas as situações. O Basileia acaba por chegar ao golo num canto, com cabeceamento de Lang e com João Afonso e Rúben Pinto a não ficarem isentos de culpas. Depois do golo dos homens da casa, os comandados de Sá Pinto soltaram-se e partiram para uma grande reacção em pleno solo helvético. Aos 23 minutos uma grande jogada pela esquerda com Tiago Silva a efectuar um passe que valia meio golo e em que a outra metade não aconteceu por grande corte de Lang. Aos 27 minutos o que se esperava acaba por acontecer. O Belenenses chega ao empate através de Luís Leal que, após mau alívio e à entrada da área, enche o pé e atira a bola para dentro da baliza do Basileia. O jogo dividia-se sem que houvesse grande supremacia de ambas as equipas. Os de Belém iam anulando as iniciativas helvéticas e na compensação coroa a grande exibição da primeira parte com a reviravolta no resultado. Luís Leal conduz a bola pela direita, completamente isolado, passa rasteiro para a área e encontra Kuca que isolado só tem que encostar. Os portugueses iam, assim, para o intervalo em vantagem após uma primeira metade de grande qualidade.

Para a segunda metade ambos os treinadores mantiveram os 11 com que iniciaram a partida. O Belenenses foi a primeira equipa a criar perigo com Luís Leal quase a replicar o lance que deu o primeiro golo mas desta feita a bola a sair por cima. A equipa do Restelo mantinha o nível com que tinha fechado a primeira parte, muito segura a trocar a bola e a fazer com que o Basileia não chegasse com muito perigo à baliza de Ventura. Os suíços chegaram a introduzir a bola na baliza do Belenenses porém o golo foi bem anulado por fora-de-jogo de Delgado no momento em que a bola é rematada por um colega. O Belenenses iniciava assim o processo de garante do resultado apostando numa defesa coesa que não concedia espaços ao adversário e que rapidamente partia para o contra-ataque caso se proporcionasse. Aos 75 minutos um contra-ataque podia ter dado golo não fosse Kuca ter individualizado demais numa jogada em que estavam 3 homens e Belém para 2 helvéticos. Aos 77 minutos F. Ferreira aguenta o resultado tirando o pão da boca a Janko que se preparava para restabelecer a igualdade. O jogo ia caminhando para o final com o habitual choveirinho do Basileia que, da única vez que apareceu com perigo foi travado por um enorme Ventura, corajoso a negar o golo na cara com um avançado do Basileia.

O Belenenses alcança, assim, uma vitória extremamente importante e igualmente suada no terreno do Basileia. Com este resultado o Belenenses alcança o segundo lugar, beneficiando da derrota da Fiorentina, em casa, com o Lech Poznan.

A história vai-se escrevendo e numa caminhada que tem sido feliz, o Belenenses “teima” em continuar a escrever no seu pergaminho europeu. Seguem-se agora dois jogos em casa frente a este Basileia e ao Lech Poznan, em Novembro.

Substituições: 84′ – Sai André Sousa e entra Ricardo Dias; 87′ – Sai Luís Leal para a entrada de Tiago Caeiro; 93′ – Sai Tiago Silva para a estreia europeia de Gonçalo Silva.

Amarelos – Filipe Ferreira, Luís Leal, Tiago Caeiro e Ricardo Dias.

X