in

Presidente do Belenenses reage ao sucedido ontem

patrick morais de carvalho, belenenses, Presidente do Belenenses reage ao sucedido ontem

Patrick Morais de Carvalho, Presidente do Clube de Futebol “Os Belenenses“, utilizou a sua conta no Facebook para reagir ao sucedido após o jogo entre Belenenses e Paços de Ferreira.


O líder do emblema do Restelo manifestou a sua tristeza pelo sucedido que “fere a História quase centenária do CFB e ofende os sócios e adeptos a quem deve ser reconhecido o direito ao protesto”.

“Num fim-de-semana globalmente muito positivo para o futebol de formação e para as várias modalidades do Belenenses, é hora de manifestar tristeza pelo que ontem se passou no Estádio do Restelo após o jogo com o Paços de Ferreira.

O que se passou, e que é bem distante da versão alternativa transmitida à imprensa, deve ser lamentado, fere a História quase centenária do CFB e ofende os sócios e adeptos a quem deve ser reconhecido o direito ao protesto desde que esses protestos não envolvam violência.

Aliás, compreendo a contestação dos adeptos, algo absolutamente natural num Emblema com a grandeza e o palmarés do Belenenses.

Mas quero alertar a massa associativa de que não devemos aceitar, nem permitir, que os acontecimentos de ontem desviem a atenção da Assembleia Geral da SAD que se realiza amanhã e onde irão ser apreciadas, discutidas e votadas as contas do actual Conselho de Administração da SAD referentes ao exercício de 2015/16.

E quero, mais uma vez, reiterar que estamos a trabalhar diariamente e de forma determinada para que seja reconhecido judicialmente ao CFB o direito de recuperar para o seu seio o seu futebol profissional, porque só dessa forma poderemos ter um Belenenses diferente, consentâneo com a ambição dos associados que é também a minha ambição.

É esse o nosso foco e é esse o nosso compromisso.”

, Gastão Elias e Frederico Silva avançam para a 2.ª ronda do Estoril Open

Gastão Elias e Frederico Silva avançam para a 2.ª ronda do Estoril Open

, Abel Camará: «Partir para a agressão é algo intolerável e que jamais admitirei»

Abel Camará: «Partir para a agressão é algo intolerável e que jamais admitirei»