overpass, Overpass (Playstation 4) | Análise Gaming
in , ,

Overpass (Playstation 4) | Análise Gaming

Overpass é uma simulação de todo-o-terreno onde terás de ultrapassar com perícia obstáculos naturais e artificiais. Escolhe entre 25 buggies e motos-quatro dos principais fabricantes (Arctic Cat, Yamaha, Polaris e Suzuki) e utiliza o diferencial para alterar a tração de 2 para 4 rodas na altura certa! Overpass já está disponível no nosso território para PS4. A versão Switch estará disponível a partir de 12 de março.

Análise feita por: Pedro Loureiro (It’s a Pixel Thing)


Estava ansioso para jogar Overpass desde que foi inicialmente anunciado. Tinha uma data de lançamento original agendada para outubro de 2019, mas acabou sendo adiado para 27 de Fevereiro de 2020. Mas… será que a espera valeu a pena? ‘Bora dar uma olhada!

Se gostas de jogos como o Screamer 4×4 e o UAZ Racing 4×4, o Overpass é para ti! Este é um daqueles jogos em que, mesmo com os segundos a contar, é essencial parar e pensar muito bem para onde ir de seguida e em que ângulo devemos atacar um obstáculo após o outro para podermos manter o nosso ímpeto. Se pretendes um jogo de offroad com uma vertente mais árcade, vieste ao local errado.

Em Overpass, as várias superfícies em que conduzimos realmente fazem a diferença. As colinas devem ser levadas a sério. E conduzir sobre lama é, de facto, realmente desafiante! E, já agora, a lama está lindíssima! E é espetacular vê-la desaparecer das rodas à medida que vamos avançando e atravessando outros tipos de terreno. Este jogo não é, definitivamente, um daqueles títulos para acelerar a todo o gás. Não, senhor! Temos de encontrar o equilíbrio perfeito entre velocidade e aderência. E a nossa capacidade de analisar e ler o terreno é fundamental e, provavelmente, a coisa mais importante em Overpass.

Hill climbs não são o único desafio aqui. Há uma grande variedade de eventos de contrarrelógio nas 43 pistas presentes. 24 veículos, divididos entre UTVs e ATVs, estão disponíveis e desbloqueá-los é extremamente importante para sermos bem-sucedidos. Quanto mais potentes forem os veículos a desbloquear, melhor as nossas chances para avançar pelo modo de carreira. Diferentes medalhas estão em jogo em cada etapa, e de acordo com a classe de veículo que escolhemos, e, por exemplo, nos ATVs, inclinar o nosso piloto é realmente importante para continuar e evitar situações embaraçosas.

Os meus troços favoritos aqueles mais longos, do ponto A ao ponto B, que oferecem um determinado número de diferentes desafios para enfrentarmos, tais como formações rochosas naturais e obstáculos artificiais de todos os tipos feitos pelo homem. Para ultrapassar todos estes perigos e desafios, a colocação de cada pneu e o perfeito equilíbrio e compromisso entre velocidade e aderência são as principais chaves para continuar em movimento.

 

Além dos modos carreira e online até 8 jogadores, o ecrã dividido e o “hot-seat” estão também à nossa disposição. Em relação a este último modo, 8 jogadores podem participar, um após o outro. 4 fabricantes oficiais e licenciados estão presentes: Suzuki, Arctic Cat, Polaris e Yamaha, e 23 dos 24 veículos são destas marcas de renome.

Cabe-nos a nós encontrar o melhor caminho para chegar vitorioso ao fim de cada desafio. É um daqueles jogos de tentativa e erro que nos recompensará por passarmos tempo a dominar cada pista. E, quando termino uma, sinto-me com vontade de voltar e repeti-la só para melhorar o meu tempo.

Começamos como um novato com uma seleção básica de veículos. O objetivo é, obviamente, chegar ao primeiro lugar do campeonato, mas, para isso, ganhar corridas é imperativo. Assim aumentaremos a nossa reputação e ganharemos patrocínios durante esse processo. O dinheiro começará a entrar na nossa conta bancária o que nos permitirá comprar veículos mais poderosos e melhor equipados para enfrentar as pistas mais difíceis que se avizinham.

Mas, não te deixes enganar! Possuir veículos mais potentes não significa necessariamente que os próximos desafios se tornarão mais fáceis de conquistar. Como foi dito anteriormente, a chave é dominar o terreno. Cada pista foi meticulosamente desenhada para causar um inferno ao jogador. Mais uma vez, a aceleração e a velocidade são verdadeiramente importantes neste jogo e três tipos de transmissão devem ser considerados em todos os momentos, dentro e fora da corrida: tração de duas rodas, tração às quatro rodas e bloqueio diferencial. Este último permite-nos forçar cada roda a girar ao mesmo tempo e à mesma velocidade. Isto vai dar-nos mais potência e tração, mas, em contrapartida, torna o veículo mais difícil de controlar do que na tração de duas ou quatro rodas.

Extremamente aconselhável é fazer todo o tutorial que nos é oferecido assim que iniciamos o jogo pela primeira vez. Aliás, é imperativo que o faças, mesmo que te consideres um fã hardcore e especialista neste tipo de jogos.

Há, no entanto, alguns pontos menos bons. O sound design não é perfeito. Falta, por exemplo, aquele efeito sonoro característico dos pneus a resvalar em secções rochosas tentando ganhar tração. Os salpicos de água são mínimos ou inexistentes. A marcha atrás nem sempre funciona como devia. E a versão PS4 é realmente irritante no que toca ao framerate, pelo menos na PlayStation 4 mais básica, e digo isto porque, quando há uma nuvem de poeira, experienciamos uma enorme quebra nos frames. Algo que simplesmente não acontece na versão PC com as configurações gráficas definidas ao máximo. E… onde está multidão? Não há uma única alma a assistir aos eventos!

Dito isto, Overpass não é para todos. É um jogo realmente desafiante e ideal para os   entusiastas de “rock-crawling” e de off-road. Mas, mesmo assim, e por mais fã que eu possa ser deste género de jogos, senti-me frustrado depois de 10 tentativas de conquistar uma determinada pista, principalmente nos “hill climbs”, fazendo-me inclusive abandonar a corrida e tentar mais tarde, mas num veículo diferente.

Zordix Racing, a equipa que desenvolveu este jogo, tentou trazer uma representação fiel da modalidade, e acredito que eles conseguiram na primeira tentativa. Mas ainda há muito trabalho pela frente que eu gostaria de ver corrigido, ou ligeiramente atenuado, ainda neste primeiro jogo daquela que poderá ser uma série futura. Há também outros pequenos bugs e situações embaraçosas em que eu fiquei com a sensação de que a física não estava bem implementada, mas, no geral, não deixa de ser um desafio incrível!

 

 

, Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX já chegou à Nintendo Switch

Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX já chegou à Nintendo Switch

ACADEMIA CRANSTON | Passatempo – Vencedores