in ,

Jost Capito, CEO da Williams Racing em entrevista exclusiva à ELEVEN

Formula 1, Jost Capito, CEO da Williams Racing em entrevista exclusiva à ELEVEN

Jost Capito, CEO da Williams Racing, deu uma entrevista exclusiva à ELEVEN onde, entre diversos temas, falou do seu lado pessoal, nomeadamente o lado de “racer” e dos seus tempos áureos nos ralis. Sem esquecer os planos para a Williams no futuro abordou o presente da equipa, da dupla de pilotos, George Russell e Nicholas Latifi, e falou sobre o legado de Sir Frank Williams. Capito referiu adorar o Algarve, que tem muitos amigos em Portugal e que os mecânicos de ralis portugueses são apaixonados, confessando também que Portugal é um “paraíso” para os ralis.

 

Jost Capito, engenheiro alemão, com 62 anos, natural de Neunkirchen, entrou na Williams Racing em dezembro de 2020 quando foi anunciado como CEO, assumindo a total responsabilidade pela administração do dia a dia da empresa, reportando ao Chairman da Williams, Mattthew Savage. Anteriormente Capito desempenhou papeis de relevo na Volkswagen Racing, tendo passado pela McLaren, Ford, Sauber, Porsche e BMW.

Capito iniciou a sua carreira nos desportos motorizados nos anos 70 e chegou a vencer o Paris-Dakar em 1985, na categoria de camiões, com o seu pai, Karl-Friedrich Capito num Mercedes Unimog. Enquanto Diretor de Desportos Motorizados da Volkswagen, Jost Capito foi responsável por sucessivos títulos de Pilotos e Construtores obtidos no WRC.

Neste fim de semana, no Grande Prémio do Mónaco de Formula 1, a Williams Racing comemora a sua 750ª corrida, tendo a primeira corrida sido disputada 1977 ( GP da Espanha), Desde essa data a Williams  já venceu 114 Grandes Prémios, subiu por 312 vezes ao pódio,  conquistou 9 títulos de Construtores e 7 títulos de pilotos.

 

Jost Capito foi quem deu a primeira oportunidade a Kimi Räikkönen, na então Sauber. Sobre o piloto Finlandês Capito referiu: “Vi algo nos seus olhos que me disse que era o piloto que tínhamos de ter no nosso carro. Então o Peter [Sauber] ofereceu-lhe o lugar de piloto de testes porque ele não tinha feito muitas corridas antes e ele respondeu – “Peter, eu não sou um piloto de testes, sou um piloto de corridas e prefiro correr na Fórmula Renault!”, Foi assim, ele tinha 19 anos e foi tão impressionante que o adorei desde o primeiro dia. E é um amor que continua!”.

Sobre os mecânicos de ralis portugueses, Jost Capito não hesitou: “Tive mecânicos fantásticos de Portugal, e acho que os portugueses são os melhores mecânicos de ralis do Mundo, são tão apaixonados. Se estamos nos ralis, então Portugal é um paraíso!”

Referindo-se ao piloto britânico da Williams Racing, George Russell, Capito referiu: “Seria muito bom se o pudéssemos manter, mas se a Mercedes o quiser, ele é um piloto Mercedes, não faremos nada contra a sua ida para o melhor carro da grelha. Porque ele merece-o.

Sobre a Williams Racing Jost Capito concluiu: “Não é a mesma equipa, porque não foi a mesma entre 1977 e o ano passado, foi sempre evoluindo. Mas o espírito da equipa e a tradição da família, o sentimento de família dentro da equipa, isso mantém-se desde 77 e vai continuar. “

 

A entrevista poderá ser vista, na íntegra, no próximo domingo, dia 23 de maio no Pré-Corrida do GP do Mónaco, a partir das 12H00 na ELEVEN 3.

 

F1 na ELEVEN é outro nível. Desde €6,99.

#ByTheFans #ForTheFans # F1ELEVEN

Veja a publicação original no site da Eleven Sports aqui.

, The Black Mamba na final do festival da Eurovisão: tudo sobre as apostas e as canções a concurso

The Black Mamba na final do festival da Eurovisão: tudo sobre as apostas e as canções a concurso

, Cinco jogos virtuais em que os portugueses são destaque internacional

Cinco jogos virtuais em que os portugueses são destaque internacional