em ,

A História do Mortal Kombat

Hoje vamos falar de tripas a voar, gajos a ficar sem braços, pernas e afins, homens a pegar fogo... pois é hoje vamos falar do MORTAL KOMBAT!!!

Hoje vamos falar de tripas a voar, gajos a ficar sem braços, pernas e afins, homens a pegar fogo… pois é hoje vamos falar do MORTAL KOMBAT!

Maxresdefault

Se vamos contar a história do Mortal Kombat, então vamos começar pelo início.

MORTAL KOMBAT 1

Ed Boon e John Tobias foram os principais responsáveis pelo desenvolvimento do Mortal Kombat, um jogo de combate que foca todo o seu gameplay na violência do jogo, com muito sangue e as Famosas Fatalities, que serviram para inspiração a jogos como o Killer Instinct.

Inicialmente pensado para ser o salto de Jean Claude Van Damme para os videojogos, aproveitando o sucesso que o BloodSports de 88 estava a fazer, a ideia acaba por cair devido à agenda do actor. Ed Boon e John Tobias adaptam então o jogo para algo totalmente diferente. Podem agradecer ao Van Damme termos o Mortal Kombat.

De modo a cumprir o deadline, a história acaba por mudar drasticamente. Uma das decisões foi, por exemplo  o Kurtis Stryker, que deveria ser o inimigo do Kano, acabar por sair do jogo, porque tiveram de meter uma personagem feminina. E assim adicionaram a Sonya Blade, nome inspirado na irmã de Ed Boon.

Mortal Kombat foi produzido pela Midway em 92 e criado inicialmente para Arcade. Mais tarde, saiu também para consolas: o Mortal Kombat 1 saiu para Super Nintendo, Mega Drive, Commodore Amiga, Game Gear, Game Boy, Master System, Dos.

As grandes diferenças para o Street Fighter, que era a concorrência directa e a base de comparação para todos os jogos de porrada da época, é que os personagens tinham movimentos muito presos e todos atacavam da mesma maneira, fora a velocidade do jogo ter deixado muito a desejar. Mas para compensar esse facto, a violência chamava as pessoas para jogar o jogo. Nunca até então um jogo de luta tinha tido tanta violência.

Em todos os personagens jogáveis eram usados actores, para parecerem o mais real possível. Outra enorme diferença entre o Mortal Kombat e Street Fighter é na jogabilidade que, ao contrário de 90% dos jogos de luta em que a defesa consistia em apenas carregar para trás, Mortal Kombat tinha um botão específico para esse efeito.

Vamos lá então começar a história do primeiro jogo e depois vamos até ao último Mortal Kombat. Apesar da história ter dado muitas voltas e alguns dos personagens terem acabado por mudar a sua origem… mas,  já lá vamos.

O torneio Mortal Kombat é o resultado de um código de honra estabelecido pelos Elder Gods – deuses anciões, ou como lhes quiserem chamar – para os reinos concorrentes se manterem equilibrados. Se um reino conseguir marcar dez vitórias consecutivas contra um adversário, eles ganham o direito de invadir esse reino. Qualquer pessoa que viole este código será violentamente punida.

Então sete lutadores chegaram à ilha pessoal de Shang Tsung pelas mais várias razões e entram no torneio Mortal Kombat.

Esses lutadores são:

  • Johnny Cage, um actor de cinema totalmente inspirado no Van Damme, decide entrar no torneio para provar aos seus fãs que ele sabe realmente lutar e nem tudo é efeito especial. Este era aquele lutador que tinha a capacidade de dar um belo murro nos tins tins dos mauzões-
  • Kano que, apesar de se vestir de branco à Roberto Carlos, era líder de uma organização criminal de nome Black Dragon. Andava fugido de Sonya Blade, outra das participantes do torneio, e decide ir ao torneio para lutar com ela de igual para igual.  Kano era o gajo que imitava, mas em mau, o Blanka, com aquela bola que ele fazia. Se repararem na cara do Kano, obviamente que é uma inspiração no Terminator, com aquele olho vermelho e tal.
  • Sonia Blade, por seu lado, liderava uma organização de forças especiais que andava a tentar aniquilar o Black Dragon. Entra no torneio para finalmente apanhar Kano.
  • Raiden é o deus dos trovões e é convidado de Shang Tsung. Quando se joga com Raiden, já se sabe que se vai ouvir a voz mais estranha de um ataque.
  • Tanto Shang Tsung como Raiden, o aspecto deles foi inspirado ou mesmo roubado do filme “Big Trouble in Little China”, sendo que Shang Tsung é Lo-Pan e o Raiden o The Three Storms.
  • Bruce Lee aka Liu Kang. Este entra no torneio porque simplesmente não gostava dele e decide torná-lo melhor.
  • Scorpion,  que vem à procura de vingança, porque Subzero o assassinou. Então volta dos mortos para lhe pegar fogo. 
  • Reptile (provavelmente, o primeiro personagem secreto de um jogo de lutas) era um mix entre o Scorpion e o Sub-Zero, tendo os poderes de ambos. Ele ia aparecendo no jogo e dando dicas para o encontrarem. Digamos que, supostamente, era um protector pessoal de Shang Tsung. Este último só se esqueceu de dizer a Reptile é que a extinção da sua raça foi obra sua…
  • Sub-Zero, o homem que mete tudo em gelo. Era uma das personagens mais usadas na altura pela malta, porque a bola de gelo faz-se exactamente da mesma maneira que a bola de fogo do Ryu no Street Fighter.

Estes são os lutadores do Mortal Kombat com que podes jogar… um pouco diferente do que se tem verificado nos jogos de luta de hoje em dia, em que temos 5000 lutadores disponíveis fora os que ainda vêm nos dlc!

Na teoria este torneio não seria o primeiro, já que esse primeiro torneio teria sido vencido exactamente pelo Shang Tsung, que foi amaldiçoado pelos “seus deuses”. Shang Tsung saca a alma aos inimigos quando lhes vence.  Ao vencer, esta alma impede-o de envelhecer e ele passa a ter a memória e as habilidades de quem matou.

Shang Tsung foi Campeão do Torneio até que um monge shaolin, de nome Kung Lao, o venceu, mas poupou-lhe a vida.  Depois, Kung Lao foi campeão durante algum tempo até  Shang Tsung voltar e trazer consigo Goro, príncipe dos Shokans, para o torneio.  Goro tornou-se o grande campeão do Mortal Kombat depois de derrotar Kung Lao. E foi campeão por mais 500 anos, além de ser um aliado de Shang Tsung.

Esta é a base do Mortal Kombat 1 – Goro era o Subchefe e Shang Tsung o big boss.

MORTAL KOMBAT 2

Agora que já sabem a base do Mortal Kombat… vamos falar do meu Mortal Kombat favorito: o Mortal Kombat 2. Saiu em abril de 93, ou seja, um ano depois do primeiro. O sucesso do primeiro foi tão grande que os produtores do jogo não quiseram ficar parados.

Mk2 Screen

Este jogo também saiu para tudo o que é consola e máquina de arcade.

Segundo a história Liu Kang ganha o torneio e vence Shang Tsung, mas, mais uma vez, poupa a vida ao rapaz e ele volta ao mundo dele. Em “troca” vem de lá o chefe dele, Shao Kahn.

Ora, o Shao Khan acha que este torneio, em vez de se desenrolar no planeta Terra, deveria passar-se na sua terra: o Outworld, e caso alguém da Terra ganhasse o torneio, ele supostamente desistiria de conquistar o nosso planeta.

Neste jogo foram adicionadas mais personagens:

  • Kung Lao, último descendente do lendário Kung Lao e amigo de Liu Kang.
  • Kitana, Assassina pessoal de Shao Kahn e também sua filha adotiva
  • Jax Briggs, membro de uma equipa de forças especiais e parceiro de Sonya Blade
  • Baraka, Líder dos Tarkatans, que segue ordens do imperador Shao Kahn
  • Mileena, Clone de Kitana e assassina pessoal de Shao Kahn
  • Shao Kahn, O imperador de Outworld e o big boss do jogo
  • Kintaro, Guerreiro Shokan, general dos exércitos de Shao Kahn e sucessor de Goro
  • Jade, Assassina de Outworld e amiga de infância de Kitana
  • Smoke, Amigo de Sub-Zero e membro do clã Lin Kuei, sendo um dos personagens secretos do jogo
  • Noob Saibot, também ele um personagem secreto, é o Sub-Zero do primeiro Mortal Kombat, que foi morto por Scorpion (por curiosidade, se lerem o nome desta personagem ao contrário ficam a saber a sua origem: Tobias Noob mistura dos dois nomes dos criadores do jogo)
  • Sub-Zero, que na realidade é o irmão do verdadeiro sub zero do primeiro jogo.

Também foi adicionado ao jogo uma melhor velocidade, que teria sido uma das maiores críticas, assim com uma data de ataques novos para as personagens já existentes. Além disso também acrescentaram 2 modos de acabar a luta: assim sendo, além das fatalities, passou a haver também o friendship e o babality. Além disso, também melhoraram as fatalities de cenário, que era usada apenas num cenário e agora já se pode usar em vários. 

Este jogo teve uma campanha de  10 milhões de dólares em publicidade e foi um enorme sucesso. Como tal, era óbvio que não ia demorar muito para sair o terceiro. Mas, antes de ser  lançado o jogo, saiu o filme.

MORTAL KOMBAT – O FILME

Mortal Kombat Movie

Este filme trouxe consigo a banda sonora que ficou super famosa. A coisa boa do filme é que realmente os atores foram escolhidos a dedo e eram realmente parecidos com o jogo…  de resto, é um bom filme de porrada mas não é nada demais! Mesmo assim, melhor que o do Street Fighter que tem o Van Damme.

MORTAL KOMBAT: THE JOURNEY BEGINS

Em 1995 sai, Mortal Kombat: The Journey Begins.

Mortal Kombat Defenders Of The Realm

Um filme de animação que contou com Liu Kang, Johnny Cage e Sonya Blade como protagonistas, estes que também foram os protagonistas do primeiro filme. Foi um filme não oficial.

MORTAL KOMBAT 3

Nesta altura também, muitos dos actores que faziam as personagens dos jogos anteriores saem da Midway por uma disputa de direitos de autor e deram lugar a novos atores para fazerem o Mortal Kombat 3.  Foi o caso de Elizabeth Malecki que foi trocada por Kerri Hoskins, por exemplo.

De qualquer modo, em 95  e com uma campanha de marketing gigante, que entrou até para o record do Guiness como a maior campanha de sempre para um videojogo de luta, sai o tão aguardado Mortal Kombat 3.

Maxresdefault (1)

Com algumas novidades a nível de gameplay, como por exemplo o botão de correr, assim como a barra de stamina, a grande novidade seria então os combos. Hoje em dia são uma realidade normal, mas na altura não era algo muito visto. Os cenários não eram fixos, ou seja, eu podia dar um uppercut a um adversário e este passava a parede e aí o cenário mudava todo. 

E no que se fala de finalizações, adicionaram o rumor que se ouviu na altura do Mortal Kombat 2, mas que só agora saiu do papel: o animality, onde os lutadores se transformavam em animais para acabar com a raça do outro!

Tudo foi actualizado no jogo, desde as digitalizações das personagens, ao som do jogo… ah…  e o Mortal Kombat começou a ir para um universo mais escuro, com as cores do jogo a ficarem claramente mais escuras.

Algumas personagens saíram do jogo e outros entraram, como foi o caso de Cyrax, Kabal, NightWolf, Sektor, Sheeva, Sindel, Kurtis Stryker que já tinha falado anteriormente e uma versão do Sub Zero sem máscara. A história é esta:

Shao Kahn tenta ressuscitar a rainha Sindel, que se suicidou, de modo a poder conquistar a terra, mesmo tendo sido derrotado pelo Liu Kang . Raiden não poderia interferir, pois subiu ao status de deus Ancião e Kahn sabia isso.

Com a ajuda da Quan Chi, a sua feitiçaria, Sindel reencarnou e a terra começou a ser engolida pelo outworld. Desta vez não havia maneira de controlar isto, as lutas poderiam acontecer onde quer que fosse, por isso é que os cenários do jogos são uma mistura dos dois mundos.

O problema do jogo, foi o facto de um grande número de jogadores do anterior não estar presente em MK3 e isso frustrou muita gente… Como resposta, lançaram o Ultimate Mortal Kombat 3.

Neste jogo, algumas dos personagens que não eram possíveis de escolher no 3 voltaram, como foi o caso de Jade, Kitana, Scorpion, Smoke e Reptile. [ como é possível lançar um Mortal Kombat sem o Scorpion?]  Este jogo era o que os fãs queriam inicialmente! Com esta versão, alguns movimentos foram adicionados aos personagens.

Ainda no universo Mortal Kombat 3, sai o Mortal Kombat Trilogy que traz de volta mais personagens como é o caso de Johnny Cage. Basicamente foi meter toda a carne no assador, enquanto a teta desse leite iam espremendo até deixar de sair leite, neste caso dólares….

Durante esta altura era criado tudo com o nome Mortal Kombat, porque era sinal de lucro e então, ainda em 95, criaram o Mortal Kombat: Live Tour: uma peça de teatro com artes marciais, em que eram usados os movimentos de luta do jogo misturado com dança. Este espectáculo passou por mais de 200 cidades. A peça, no entanto, não tinha violência e até havia alturas em que a plateia podia interagir com a peça.

Em 96 é criado uma série de desenhos animados chamada Mortal Kombat Defenders of the Realm, que teve 13 episódios. Esta apareceu numa altura em que o Street Fighter também tinha uma série de desenhos animados.

O filme Mortal Kombat: Annihilation saiu em 97 e, deixem que vos diga, o filme é mesmo mau… a história supostamente baseia-se em Mortal Kombat 3, mas muitos pormenores foram trocados…Dou-vos o exemplo do Subzero que no filme podia voar…

Ainda neste ano, saiu mais um jogo do Mortal Kombat, neste caso um spin off, o Mortal Kombat Mythologies: Sub-Zero para PS1 e N64. Este jogo não era um jogo de luta 1 vs 1 como todos os outros, mas sim um jogo de luta em plataformas, com o Subzero como protagonista…  ninguém estava a contar que seria ele pois não?

E esta é a primeira parte da historia, mantém-te atento à CA Noticias que para a semana sai a segunda parte, fica por aí!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

James no Rock in Rio Lisboa a 29 Junho

Sporting oficializa regresso de Fredy Montero

Sporting – Viktoria Plzen: Fredy Montero volta a fazer a diferença em Alvalade.