in , , ,

Future estreia-se em Portugal no Super Bock Super Rock

Future, Super Bock Super Rock, Future estreia-se em Portugal no Super Bock Super Rock

Nos últimos tempos muito se tem dito e escrito sobre a explosão mundial do hip hop, estabelecendo paralelismos deste fenómeno com o papel intervencionista do rock nas décadas de 70 e 80 e de como este acabou por tomar conta das tabelas de vendas, do airplay das rádios e da música tocada ao vivo. A verdade é que hoje, o hip hop está cada vez mais presente. Dos tops dos serviços de streaming de música ao airplay das rádios, tornou-se transversal. Enquanto Festival que reflete a cada edição as tendências e aponta os caminhos do futuro, o Super Bock Super Rock não fica indiferente e atribui-lhe o espaço que é seu por direito. Foi assim em 2016 com o concerto memorável e histórico de Kendrick Lamar. E é assim em 2017, com os já anunciados Tyler, The Creator, Slow J ou o projecto Língua Franca, e com o terceiro cabeça de cartaz confirmado para a 23ª edição: Future, um dos maiores e mais relevantes rappers da atualidade, atua a 14 de julho, no Palco Super Bock.


O rapper de quem se fala nasceu e cresceu em Atlanta, Geórgia, nos Estados Unidos, e começou a dar nas vistas no grupo Dungeon Family, onde ficou conhecido como “The Future”. Tem sido esse o seu nome de guerra até hoje, assinatura de alguns dos singles mais marcantes dos últimos anos, como “Turn On the Lights” ou “Low Life”.

Em 2010 começou a editar as primeiras mixtapes e depressa chegou aos primeiros lugares dos tops, primeiro com o single “Tony Montana” e depois com o lançamento do primeiro disco, “Pluto”, registo muito bem recebido tanto pelo público como pela crítica. Em 2014 edita o segundo disco, “Honest”, que nos trouxe os sucessos “Karate Chop” com Lil Wayne ou “Move That Dope” com Pharrell Williams, Pusha T e Casino. Em 2015 gravou a mixtape “What a Time to Be Alive” com Drake, e entretanto já editaram juntos mais dois singles, gigantes de visualizações no YouTube: “Where Ya” e “Used To”. No currículo de Future assinalam-se ainda colaborações com nomes de peso como Andre 3000, Rihanna, Maroon 5 ou Chance the Rapper.

Future tem uma produtividade invejável. Edita mixtapes e discos a um ritmo alucinante, sem nunca desiludir a sua legião de fãs. Prova disso é “Evol”, disco de 2016, de onde saíram “Low Life” ou o irrestível “Wicked”.

Mas, como se sabe, o melhor futuro, para Future, é sempre o presente, e por isso começou 2017 em dose dupla, com o lançamento do homónimo “Future” e também de “Hndrxx”, fazendo deste rapper norte-americano o primeiro artista a alcançar o top da Billboard com dois discos diferentes em duas semanas consecutivas. Registos marcados, como sempre, por uma melancolia que Future sabe transformar, como ninguém, nos melhores beats e rimas.

Espera-se, então, mais uma noite memorável, a 14 de julho, dia em que Future vai ser cabeça de cartaz do 23º Super Bock Super Rock.

, A partida entre Sporting e Belenenses será um teste da Liga

A partida entre Sporting e Belenenses será um teste da Liga

, Estreia de Prison Break vista por 164 mil espectadores

Estreia de Prison Break vista por 164 mil espectadores