em ,

Festas de Lisboa: contagem decrescente para um mês recheado de iniciativas

Estamos em contagem decrescente para o início das Festas de Lisboa. Um mês recheado de iniciativas, por onde passam várias Artes, com atividades gratuitas para todos os gostos e idades.

Estamos em contagem decrescente para o início das Festas de Lisboa. Um mês recheado de iniciativas, por onde passam várias Artes, com atividades gratuitas para todos os gostos e idades.

As Festas de Lisboa’18 arrancam no dia Mundial da Criança, 1 de junho, com a abertura de um novo teatro na cidade, dedicado aos mais novos. O LU.CA – Teatro Luís de Camões – na Ajuda irá ao longo do mês apresentar vários espetáculos gratuitos e possibilitar visitas a este novo espaço cultural de Lisboa. O palco é também dos mais novos no Concerto de Abertura, dia 2 de junho, quando os jovens músicos da Orquestra Geração se juntarem à Orquestra Gulbenkian no Terreiro do Paço, com um programa musical para toda a família que inclui temas como a banda sonora de A Guerra das Estrelas.

Não há Festas de Lisboa sem Marchas Populares e este ano a inspiração é Vasco Santana e A Canção de Lisboa. Uma homenagem da cidade no ano em que se assinalam os 120 anos do seu nascimento e 60 do seu desaparecimento. Vasco é Saudade é o tema vencedor da Grande Marcha, que será interpretado por todas as Marchas Populares na noite de Santo António, dando voz aos bairros de Lisboa. As Festas fazem-se na rua também com os arraiais, que se prolongam durante todo o mês; com a tradição dos casamentos de Santo António e, claro, com as Sardinhas. A partir do dia 1 de junho e durante todo o mês, vai poder ver de perto, as vencedoras e muitas outras dezenas, na exposição Salvem a Sardinha que na Galeria Millennium, na Rua Augusta.

Esta edição das Festas não poderia passar ao lado dos 20 anos da Expo’98, um momento de viragem na vida cultural da cidade, que iremos recordar com um espetáculo multimédia e o regresso dos Olharapos, na Pala do Pavilhão de Portugal, e com a exposição Você (Não) Está Aqui, que reúne cerca de 70 fotografias de Bruno Portela para relembrar como era a zona oriental de Lisboa antes da Expo.

A diversidade cultural da cidade estará presente no Festival Lisboa Mistura e a Festa da Diversidade, na Ribeira das Naus, no Castelo há Fado com Carminho, Camané e Carlos do Carmo e não esquecemos o Festival Coros de Verão e o Com’Paço.

As Festas despedem-se com Gilberto Gil no Jardim da Torre de Belém, no dia 30. Refavela 40 traz-nos um concerto de entrada livre que promete contagiar com os sons quentes do reggae, samba e funk americano.

Com as ilustrações de Lisboa de Rui Sousa em pano de fundo, Junho promete ser um mês de muita animação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Foreign Poetry lançaram novo single “MHL”

Feira do Livro já regressou a Lisboa. Saiba todas as novidades