in , , ,

Crítica: “A Múmia” (The Mummy)

CA Notícias | Entretenimento, desporto, tecnologia e lifestyle

Estreou esta quinta-feira o primeiro filme do Dark Universe da Universal Studios, “A Múmia” de Alex Kurtzman que tem Tom Cruise, Annabelle Wallis e Sofia Boutella nos principais papeis.

Desde logo existem semelhanças visíveis com o filme de Brendan Fraser em 1999, como a reconstituição da múmia, as pragas, entre outras. Mas, a ideia é ser um filme mais assustador e com um novo conceito e ameaças diferentes ao clássico de 1999.

O filme começa com uma descoberta em Londres, a apresentação de Ahmanet (Sofia Boutella), e claro, com Tom Cruise numa exploração não autorizada. Ora, Nick (Tom Cruise) é militar, mas tem negócios paralelos no mercado negro com artefactos que vai encontrando pelo seu caminho. São esses negócios que o levam a encontrar, por acidente o local onde Ahmanet está enterrada.

Surge então Jenny (Annabelle Wallis) que desce até ao fundo do buraco descoberto por Nick e descobre um câmara, com um poço com um túmulo. Pede então para transportar o túmulo para poder estudar o mesmo. Como é visto no trailer é aqui que tudo começa a correr mal.

E de que maneira, o filme a nível visual está muito bom, é de facto escuro e tenebroso, contendo suspense e fazendo os espectadores saltarem das cadeiras com alguns sustos ao serem apanhados desprevenidos. No entanto, a nível de conteúdo há falhas, assim como a nível temporal, a acção do filme parece que passa a correr, começa a um ritmo calmo e a tentar dar um ponto de situação ao espectador, apresentando a múmia (que é a ameaça no filme) mas depois começa a correr.

Temos, por um lado, Sofia Boutella a fazer um bom papel como múmia, a maquilhagem está estupenda e é de facto uma múmia tenebrosa, com um imenso desejo de vingança. Por outro temos Annabelle Wallis, a fazer um papel super carismático e interessante, mas que no entanto acaba por perder, porque a ideia é ser uma donzela em perigo.

Tom Cruise, tem o seu papel, dentro do que estamos habituados, um herói um tanto exagerado, ao estilo de Missão Impossível. Já Russell Crowe, tem algumas falhas na sua personagem, que podia ter sido mais desenvolvida, parece-me no entanto que isso foi propositado e que talvez no próximo filme do Dark Universe vejamos mais do que promete ser uma personagem muito interessante.

Não foi um bom arranque para o Dark Universe, que criou tantas expectativas com o regresso dos clássicos que todos conhecemos e dos quais tanto gostamos. Tem uma boa ideia, mas não consegue ter um argumento bom o suficiente para seguir a ideia da melhor forma, falhando em conteúdo. Por outro lado, visualmente está um bom filme, tem boas ideias que podiam ter sido mais desenvolvidas, mas que serão sem duvida aproveitadas no próximo filme do Dark Universe.

Para quem gosta de entretenimento, um pouco de suspense e alguns arrepios é um filme para ser visto no cinema e se possível em 3D.

Conhece mais sobre este universo no artigo em baixo:

https://canoticias.pt/entretenimento/a-mumia-o-primeiro-filme-do-dark-universe-estreia-hoje/

CA Notícias | Entretenimento, desporto, tecnologia e lifestyle

Divulgado o primeiro trailer do filme “Black Panther”

CA Notícias | Entretenimento, desporto, tecnologia e lifestyle

Nouvelle Vague regressam a Portugal para três concertos em outubro