em ,

Baroness actuam em Lisboa a 27 Junho

Os Baroness regressam em Junho a Portugal, para actuar no Lisboa ao Vivo a 27 de Junho.

Os Baroness regressam em Junho a Portugal, após uma passagem bem sucedida em 2016 pelo Paradise Garage. A banda de Sludge Metal nascida na Geórgia, Estados Unidos da América poderá ter na calha um álbum novo e passa no Lisboa ao Vivo para apresentar os temas que todos os fãs da banda reconhecem e talvez algumas novidades, quem sabe.

O concerto está marcado para o dia 27 de Junho no Lisboa ao Vivo com início às 21 horas. Falta saber ainda quem fará a primeira parte deste concerto imperdível para os fãs de prog e metal. Os bilhetes têm um custo unitário de 20 euros e estarão à venda à partir de quarta-feira, 21 Fevereiro.

Comunicado da promotora do concerto, Prime Artists:

Há cerca de cinco anos, a carreira do quarteto de rock/metal mais ambicioso da Geórgia foi posta em stand by por um horrível acidente de viação que ameaçou deixar o coletivo em ruínas. Sem nunca baixar os braços, com uma formação renovada e as cicatrizes da tragédia ainda visíveis por dentro e fora, os BARONESS ressuscitaram das cinzas e gravaram o álbum mais triunfante de um percurso brilhante. Agora, depois de ter passado os últimos dois anos quase ininterruptamente na estrada e enquanto não lança o muito aguardado quinto registo de originais, o quarteto vai fechar o ciclo de promoção ao colossal «Purple» com mais uma rota de espetáculos pela Europa. Com passagem marcada por alguns dos mais respeitados festivais de Verão do velho continente, em Portugal os BARONESS vão protagonizar uma surpreendente aparição em sala fechada com uma atuação marcada para o dia 27 de Junho, no Lisboa ao Vivo, em Lisboa.

Formados a meio de 2003 em Savannah, na Geórgia, o reduto sulista que também deu ao mundo da música pesada os Kylesa e os Black Tusk, entre muitos outros, os BARONESS são um dos grupos mais talentosos saídos do underground norte-americano durante a primeira década do Séc. XXI. Com um pé firmemente apoiado no rock mais tradicional e o outro empoleirado no metal, um apurado sentido melódico e vontade de chegar mais longe que o óbvio, construíram uma carreira exemplar apoiada numa sequência de três álbuns exemplares – o «Red Album», o «Blue Record» e o «Yellow And Green», de 2007, 2009 e 2012 respetivamente – e numa rigorosa ética de trabalho, que os viu tocarem para plateias rendidas um pouco por todo o lado e, inclusivamente, o honroso convite para fazerem “suporte” a gigantes como os Metallica, os Mastodon e os Deftones. Depois, de um momento para o outro, foi como se lhes tivessem tirado o tapete debaixo dos pés.

A 15 de Agosto de 2012, na viagem entre Bristol e Southampton para completar mais uma data de uma tour britânica, os BARONESS e a sua equipa viram-se envolvidos num aparatoso acidente de viação, que deixou o veículo em que circulavam totalmente destruído e grande parte dos seus ocupantes em estado de choque. Este trágico acontecimento teve um impacto profundo em todos os envolvidos e, numa altura em que estava a atravessar o melhor momento de forma da sua carreira, a banda viu-se forçada a reequacionar um brilhante futuro. Mostrando uma determinação sem precedentes, John Dyer Baizley focou-se na catártica tarefa de transformar a tragédia em algo positivo e, com a preciosa ajuda de Nick Jost e Sebastian Thomson, a nova secção rítmica, gravou «Purple». Editado a 18 de Dezembro de 2015, o quarto longa-duração mostrou os músicos norte-americanos a redescobrirem-se a si próprios, num dos registos mais sentidos que já assinaram e, desde então, a banda tem-se mantido em digressão, desde o ano passado com Gina Gleason na segunda guitarra.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Resultados desportivos do fim-de-semana de 6 e 7 de Janeiro

Resultados desportivos do fim-de-semana de 17 e 18 de Fevereiro

Juniores A conhecem calendário da 2ª fase

Juniores entram com o pé direito na 2ª Fase