em , , ,

Análise Gaming | ‘Metro Exodus’

Metro Exodus é um jogo inspirado na obra de Dmitry Glukhovsky, escritor russo considerado por muitos como o melhor escritor de ficção científica da Rússia. Já nos tinha brindado como inspiração para os dois jogos anteriores: Metro 2033 e Metro Last Light e agora é a vez de recebermos Metro Exodus.

Será que este jogo continua na linha dos anteriores? É o que vais ficar a descobrir com esta review do Metro Exodus.

Metro Exodus

Há um esforço claro em popularizar a franquia para fãs que nunca tinha experimentado estes jogos, mas não esperem um jogo fácil, porque não é! O jogo continua violento, agressivo e com momento de gameplay frenético, que já eram uma imagem de marca da franquia, mas agora temos momentos bem mais claros que os seus anteriores.

Neste jogo, Metro apresenta-se num mundo semi aberto, com o seu main map a céu aberto, ao contrário dos anteriores que eram precisamente o contrário. Nesses, passávamos grande parte do nosso tempo nas linhas do metro, tal como o nome do jogo já indica. Mas enganem-se se pensam que este jogo perdeu o encanto que tinha anteriormente… tal como já tínhamos visto em jogos como o Bioshock, aqui o terceiro título muda de ares, mas continua com a mesma alma.

Metro Exodus

Artyom está de volta, assim como algumas das personagens dos jogos anteriores. Aquele sotaque russo do Artyom está lá nos relatos já característicos de passagem de capítulo, mas a voz que faz esses relatos já não tem o sotaque tão carregado como tinha anteriormente e isso deixou-me triste.

Tal como os Metro’s anteriores, este jogo também tem dois finais distintos e é precisamente depois de um dos finais de Metro Last Light que esta história arranca. Porém, se nunca jogaste os anteriores, não te preocupes porque eles de forma subtil explicam tudo nos primeiros instantes do jogo. Mas acredita que se gostares deste, vais querer voltar atrás e experimentar os primeiros dois jogos.

Metro Exodus

Basicamente houve uma guerra nuclear, que acabou de devastar a face da Terra! Toda a superfície da Terra encontra-se com radiação, obrigando a população sobrevivente a viver nas linhas de metro, de modo a conseguir viver. E este é o foco da jogo! No entanto, o que acontece é que, nos momentos iniciais do jogo, ficamos a saber que afinal não é bem assim e que há mais para além disso. Posto isto, daí advém o facto deste jogo passar-se mais na superfície, ao contrário dos outros, que se passavam debaixo da terra. Aqui encontrei algumas coisas que podiam estar melhoradas. Dou um exemplo: entras numa casa de banho com dois lavatórios sujos com sangue, tu vês que os dois lavatórios são iguais e sujos exactamente do mesmo modo… ora,  isto podia estar mais realista! Contudo, não é nada que vá estragar o teu gameplay, é apenas algo que podia estar melhor.

Artyom e o resto dos sobreviventes descobrem um comboio que os leva na aventura de Metro Exodus. Nessa aventura vão tento algumas paragens e é nessas paragens que temos as missões. Várias paragens significam vários ambientes e esta é uma diferença abismal em relação aos restantes títulos: aqui vais ter vários tipos de cenários e vários ambientes, algo que nos anteriores não tínhamos tanto.

A lutar a seu lado, tens outras personagens do mundo de Metro: Anna, a mulher dele já conhecida de Metro Last Light e Miller, o sogro que é um dos chefes do regimento onde vivia Artyom. Estas três personagens são bastante interessantes. Esperava apenas mais no que se trata de expressões faciais, mas também não posso dizer que estejam péssimas, até porque toda a interacção entre estes personagens vai fazer-te ficar interessado na história.

Metro Exodus

Uma das coisas mais incríveis deste jogo é, sem dúvida, o trabalho de luz, que tanto o excesso dela como a falta dela torna tudo mais espetacular! Tens vários tipos de inimigos, desde os clássicos dos primeiros jogos, como também alguns novo, muito devido ao facto que mudares de ambiente durante o gameplay do jogo. Mas as partes que gostei mais foram as interacções com os humanos, em que realmente tens de pensar mesmo muito bem antes de disparar, porque podes estar a meter-te em grandes sarilhos.

Banda sonora de Metro Exodus tem muita qualidade

A banda sonora do jogo é de elevada qualidade, tendo silêncios quando deve ter silêncio e tendo som quando deve ter som. Os sons dos inimigos são, no mínimo, épicos e consegues ouvir conversas super interessantes dos humanos dando um aspecto humanizado ao jogo.

Metro Exodus

O jogo está disponível em 10 capítulos e jogando a um ritmo normal podes levar umas 13 a 15 horas para o completar. Algumas das missões tens a liberdade total de a completares como queres, outras o caminho é trilhado e vais ter mesmo de o seguir. Tens também algumas side missions, onde um personagem te diz que em certo sítio podes encontrar alguma coisa. Esse spot é marcado no mapa e depois vais lá se quiseres ou não. Aqui tens várias diferenças porque encontras uma espécie de safe zone, que são casas que têm uma banca para construíres mantimentos ou fazeres upgrade às armas. Nestas casas também tens uma cama onde podes dormir e assim escolher se queres ir para um sítio em pleno dia ou se preferes ir de noite. Queres um conselho de amigo?  Tirando os monstros que vais defrontar durante o jogo, todas as partes com humanos, quando possível passa em stealth mode. Quando o mapa te fecha em algum sítio é onde o jogo mais brilha! Já estamos habituados a sentir este tipo de sensação de claustrofobia vir ao de cima, mas neste jogo, nos mapas fechados, é simplesmente do outro mundo! Aqui vais ter de usar da melhor maneira os recursos que tens, ficando com a sensação que estás a jogar um survival horror, principalmente a nível de vida, que às vezes chega a ser bem escassa. Metro é exactamente isso: um FPS com terror, com survival e com uma história extremamente bem feita, que te prende do inicio ao fim.

Metro Exodus

Atenção, este jogo não é um FPS para amantes apenas de FPS, tens um pouco de tudo, mas de uma forma bem conseguida. Ou seja, não sentes que é uma salganhada de modos diferentes. Artyom sofre um pouco de artroses… obviamente que me refiro ao controlos do jogo, que não são de todo meticulosos, mas acredito que seja propositado para dar mais ambiente ao jogo, como já temos visto em outros títulos. Porém, às vezes, é mesmo enervante.  A nível de armamento, aqui tens umas vasta variedade, até porque podes ir mudando bastantes coisas nas armas e isso torna as coisas ainda mais interessantes.

Um ponto que tenho de realçar como negativo são os loadings que são um pouco demorados.

De tudo o que o Metro nos trouxe este  Metro Exodus é uma excelente continuação, com algumas novidades danto outra vida à franquia e atraindo público novo para esta saga excelente. A 4A Games lança mais um grande título para as vossas bibliotecas: este Metro Exodus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Trotinetes Lime chegam hoje à cidade de Coimbra

Pokémon Direct: 27/02/19

Pokémon Direct: 27/02/19