em

O Gameboard-1 tem muito potencial

Todos nós gostamos de jogos de tabuleiro, mas às vezes pode ser bastante aborrecido toda a “montagem” que acontece antes de podermos efetivamente começar a jogar, acabando às vezes por pensar que uma versão digital seria muito melhor.

Bem, podemos não estar muito longe disso. Não, não estamos a falar de versões digitais de jogos como Gloomhaven ou Esmagar do Steam ou de outras plataformas.

CANoticias-2019-10-09_07-01-05.jpg

Em vez disso trazemos o Gameboard-1, que é o próximo produto que pode ajudar a mudar a maneira como os jogos de tabuleiro são jogados para alguns.

O Gameboard-1 é um monitor plano de 16 polegadas por 16 polegadas que possui um computador embutido. A ideia é que poderemos jogar diferentes jogos nessa mesa com amigos e peças físicas, se assim o quisermos. Ou, podemos apenas renunciar a toda a fisicalidade das coisas e torná-lo puramente digital.

Os proprietários podem comprar jogos ou inscrever-se neles (dependendo do jogo e dos recursos) e então podemos ir a partir daí.

Em teoria, as pessoas poderão criar uma versão digital dos jogos de tabuleiro que ama e, em seguida, podemos usar o Gameboard-1 como tabuleiro.

Obviamente, o Gameboard-1 não será limitado apenas a jogos de tabuleiro. Os desenvolvedores poderão fazer o que quiserem. Também existem cerca de 100 jogos já comprometidos. Uma opção óbvia é para jogadores de RPG’s de mesa a usá-lo em mapas de batalha. Isso é completamente possível. Além disso, algumas partes poderão armazenar dados:

A maioria das peças do jogo é realmente passiva e não requer baterias. O Gameboard-1 pode detectar a localização, orientação e tipo de peça quando são colocadas no tabuleiro. As próprias peças armazenam cerca de 2K de dados criptografados. Parte disso é somente leitura e contém informações sobre fornecedores e produtos, mas muito do armazenamento pode ser usado para dados do utilizador.

Isso abre uma nova categoria de jogo, porque, por exemplo, uma peça de personagem pode criar experiência (XP) e armazená-la na peça. Portanto, a capacidade de uma determinada peça pode mudar com o tempo. Pode levar as peças para casa de amigos e manter os nossos XP sem que nada seja armazenado na nuvem.

As peças ativas contêm uma bateria e componentes eletrónicos. Essas peças têm comunicação bidirecional com o tabuleiro de jogo e podem ter botões para entrada adicional do utilizador ou incorporar qualquer número de outros sensores, inclusive a comunicação com um ecrã privado.

Por exemplo, pode lançar um feitiço num ecrã privado, a peça do mago ativo brilhará e pulsará, e o show de luzes poderá passar para os pixels no display à medida que o feitiço irradia, disse Wyatt.

Além disso, The Last Gameboard disse que lançará bases que podem ser usadas para transformar as nossas próprias peças em peças passivas para utilização com o Gameboard-1.

Ah, sim, podemos conectar a outros ecrãs, como o telefone, para usar como ecrãs particulares. Isso é ideal em jogos como o póquer, onde precisamos manter algumas informações em segredo. Também poderia ser usado para jogadores manterem as suas fichas de personagens nos seus telefones com o mapa de batalha no Gameboard-1.

Então, acha que 16”x 16” é muito pequeno? Bem, é possível ligar vários Gameboard-1s para aumentar o espaço do ecrã.

Se está interessado no Gameboard-1, o The Last Gameboard irá lançar uma campanha no Kickstarter a 10 de outubro, com o custo de um Gameboard-1 atualmente definido em 350 dólares.

Via: Venture Beat

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

O Realme X2 Pro apresentará uma configuração de câmara quad de 64MP alinhada ao centro

Realme X2 Pro será lançado a 15 de outubro

THE DRAGON Prince

THE DRAGON PRINCE | Temporada 3 recebeu poster épico e data de estreia