in ,

Jogos Sem Sequela – Bons jogos que foram esquecidos pelos criadores

, Jogos Sem Sequela – Bons jogos que foram esquecidos pelos criadores, CA Notícias

Existem jogos que simplesmente deveriam ter tido uma continuação e foram esquecidos pelos seus criadores. Hoje falamos de 10 jogos que mereciam uma sequela e que ainda não tiveram.

1 – Deadly Premonition

Para começar a lista Deadly Premonition, um survival horror em open world, com visão em terceira pessoa e câmara por cima do ombro, lançado em 2010 para PS3, Xbox360 e PC.

Neste jogo somos o Agente do FBI Francis York Morgan e estamos a investigar a morte de uma senhora de idade, em que a morte tem semelhanças com um assassino em série que atua pelo país. Ao chegar a Greenvale, tudo acontece! Este jogo tem um excelente ambiente e tem mecânicas de jogo pouco vistas na altura. Por exemplo, o jogador precisa de comer e dormir para estar bem, e isso juntamente com a temática faz realmente deste um jogo especial. Já estava na altura de ter uma continuação!

 

2 – L.A Noire

O próximo é L.A Noire, jogo lançado pela Rockstar em que tomamos as rédeas de um investigador chamado Cole Phelps que vai percorrer Los Angeles para resolver casos. Investigamos os locais e os intervenientes em busca de pistas e quantas mais pistas tivermos melhor conseguimos resolver os casos. Este jogo é um must have para qualquer gamer… saiu em 2011 e tem versões para Xbox, PS3 e 4, Switch, PC, ou seja, seja qual for o sistema podes jogar este jogo… e que tal uma continuação?

 

3 – Comix Zone

Quem se lembra do Comix zone? Pois é, saiu em 95 para a MegaDrive e nunca teve uma continuação, mas já merecia! O Comix Zone fala de Sketch Turner, um desenhador de BD que, ao criar uma banda desenhada, cai-lhe um raio em cima do trabalho! Ele é transportado para dentro da BD e tem de lutar contra Mortus, um vilão que ele próprio criou! É um beat & up à antiga com uma temática excelente e muito criativa. Devia ter uma sequela.

 

4 – Bloodborne

Uns anos mais à frente, passamos assim para a PS4 e o seu Bloodborne, um jogo da From Software ,responsáveis pelo DarkSouls e Demon Souls. Miyazaki, criador deste jogo, disse em entrevista que não estava nos planos da empresa fazer uma sequela de Bloodborne para já, o que realmente é uma pena, pois o mundo precisa de mais jogos deste género.

 

5 – Alan Wake

Um jogo de terror feito pela mesma empresa que fez os originais Max Payne ou Quantum Break, saiu para PC e Xbox 360 em 2010. Neste jogo somos Alan Wake, um escritor de livros de terror, e a sua mulher desaparece enquanto estes se encontravam de férias numa cidade pequena chamada Bright Falls… mas nem tudo o que parece é! Este jogo é excelente, saíram uns quantos DLC que adicionavam bastante ao jogo mas mesmo assim ficou aquela sede de mais…

 

6 – Sunset Riders

Já fomos até 95 com o Comix Zone e que tal irmos mais atrás a 91 com o Sunset Riders? Steve, Billy, Bob e Cormano, são os personagens com que podemos jogar neste jogo do Faroeste que saiu para Arcade em 91 e mais tarde em 92 e 93 saiu para SNES e MegaDrive. Neste jogo somos uns Bounty Hunters que andam no faroeste em busca dos bandidos. Se fosse a imaginar uma sequela espiritual falaria do Call of Juarez: Gunslinger, mas não é a mesma coisa!

 

7 – Black

Este na minha opinião podia ser uma franquia de sucesso estilo Call of Duty ou Battlefield e só não é porque é da mesma companhia do segundo e, a meu ver, a EA preferiu investir todo o esforço e marketing no Battlefield. Estou a falar de Black, que saiu para a PS2 e Xbox, jogo em primeira pessoa, single player, que se passa em dois sítios distintos. Primeiramente numa prisão e depois numa guerra, o objectivo é fácil: matar o líder de uma organização criminosa, e para isso o Sargento Kellar não tem mãos a medir. Só podemos usar duas armas de cada vez e isso faz o jogo mais desafiante para criar estratégias de combate. Este jogo acaba com bastante espaço para continuação, mas acabou por nunca acontecer.

 

8 – Planescape Torment

Planescape Torment é um RPG que saiu em 99. O universo é o Planescape que basicamente é uma campanha de Advanced Dungeons and dragons desenhada pelo almighty David “Zeb” Cook. Este jogo usa o mesmo motor do Baldur’s Gate e tornou-se um jogo de culto que nunca recebeu uma sequela, embora tenha uma das melhores histórias do universo RPG.

 

9 – Heavenly Sword

Já que tanto se fala do novo God of War e que tal falar de mais um hack and Slash que ficou sem continuação? Relembramos então o Heavenly Sword que saiu para a PS3 em 2007 e que vem fazer companhia ao God of War e Darksiders como o melhor trio de hack & slash da sétima geração. Heavenly Sword foi criado pela Ninja Theory, os mesmos que criaram jogos como DMC: Devil May Cry e Hellblade. Em Heavenly Sword somos Nariko que usa uma arma chamada Heavenly Sword, daí o nome. O jogo tem um sistema de combate bem rápido e dinâmico, e este é sem dúvida um jogo que merecia uma continuação na nova geração.

 

10 – Eternal Darkness: Sanity’s Requiem

Por último deixo aqui mais um Survival Horror: Eternal Darkness: Sanity’s Requiem da Silicon Knights que foi distribuído pela Nintendo. Normalmente, Horror e Nintendo não casam bem, mas neste caso é bem o oposto! Para mim é dos melhores jogos do género e é um jogo realmente inovador, uma experiência única, porque neste jogo vamos jogando com várias personagens e cada uma tem as suas valências, fora os efeitos de Sanidade que fazem com que o jogador fique realmente baralhado com o que está a acontecer. O criador do jogo, Denis Dyack, quer fazer uma continuação, mas nada de concreto ainda foi feito. Vamos esperar que saia realmente…

, Anselmo Ralph e Carminho entre os nomes d’ O Sol da Caparica, CA Notícias

Anselmo Ralph e Carminho entre os nomes d’ O Sol da Caparica

, Meo Kids Music Fest é o primeiro festival de musica para crianças e chega a 26 e 27 de maio, CA Notícias

Meo Kids Music Fest é o primeiro festival de musica para crianças e chega a 26 e 27 de maio