in

Itália vence o Festival Eurovisão da Canção. Portugal ficou em décimo segundo lugar

A Itália venceu este sábado o Festival Eurovisão da Canção, com o tema “Zitti E Buoni”, interpretado pelo grupo Måneskin, que era o favorito à vitória de acordo com a média de várias casas de apostas.

eurovisão,itália,portugal,festival, Itália vence o Festival Eurovisão da Canção. Portugal ficou em décimo segundo lugar
EBU / ANDRES PUTTING

A Itália foi a grande vencedora da 65ª edição do Festival Eurovisão da Canção, que se realizou em Roterdão, nos Países Baixos. A banda pop rock Måneskin era o grande favorito nas casas de apostas online e conseguiu conquistar o público e o júri com o tema “Zitti E Buoni”.

A Itália, que venceu pela última vez há 31 anos, foi o país que obteve maior pontuação (524 pontos), atribuída pelos espectadores de cada país e pelos júris nacionais dos 39 países que participaram na edição deste ano, embora apenas 26 canções tenham competido na final.

“O Rock and Roll nunca morre”, afirmou o vocalista do grupo após receber o galardão.

A final da 65.ª edição do Festival Eurovisão da Canção decorreu hoje à noite em Roterdão e foi transmitida em direto em todo o mundo.

A Itália ocupava, desde 15 de maio, o primeiro lugar de um ranking dos 39 países concorrentes, cuja classificação é definida pela média de várias casas de apostas, calculada pelo site eurovisionworld.com, especializado no concurso.

O Reino Unido, com “Embers”, de James Newman, ficou no último lugar com zero pontos da votação do público.

The Black Mamba, representantes de Portugal, ficaram pelo 12.º lugar com o tema “Love Is On My Side”. Esta é a quinta vez que a delegação portuguesa consegue apurar-se para a final do concurso televisivo: em 2008, com Vânia Fernandes, em 2009, com Flor-de-Liz, em 2010, com Filipa Azevedo, em 2017, com Salvador Sobral, e em 2018, com Cláudia Pascoal, ano em que pela primeira vez o festival se realizou em Lisboa.

O primeiro país a votar foi Israel – como manda a tradição, o primeiro júri profissional a revelar os votos é o do país que recebeu o festival no ano anterior. Lucy Ayoub, apresentadora da edição de 2019 do certame, foi a porta-voz de Israel.

Israel entregou os 12 pontos, a maior pontuação, à Suíça, que este ano concorreu com o tema “Tout l’Univers”, interpretado por Gjon’s Tears.

Já Portugal entregou a pontuação máxima a Bulgária com o tema “Growing Up Is Getting Old”, interpretado por VICTORIA. Elisa, vencedora do Festival da Canção RTP de 2020, foi a porta-voz portuguesa.

No final da votação do júri profissional, a Suíça liderava o top com 267 pontos. Em último lugar ficou Reino Unido com apenas zero pontos. O voto do público foi decisivo para escolher o vencedor da edição de 2021 do Festival Eurovisão da Canção.

Na votação do público, a Itália conquistou 318 votos, sendo uma das surpresas da noite.

A final do Festival Eurovisão da Canção decorreu este sábado, dia 22 de maio, e contou com 26 participantes. Noruega, Israel, Rússia, Azerbaijão, Malta, Lituânia, Chipre, Suécia, Bélgica e Ucrânia foram os primeiros a garantir um lugar na final.

Já Albânia, Sérvia, Bulgária, Moldávia, Portugal, Islândia, São Marino, Suíça, Grécia e Finlândia garantiram uma viagem até à final esta quinta-feira, dia 20 de maio.

Além dos 20 países escolhidos nas duas semifinais, a final do Festival Eurovisão da Canção contou ainda com a participação dos ‘Big Five’ (França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) e do país anfitrião (Países Baixos).

Ouça aqui todas as canções a votações.

Tal como manda a tradição, a edição de 2021 do Festival Eurovisão da Canção arrancou com o genérico inicial. De seguida, foi apresentado um vídeo de apresentação da cidade que este ano acolhe o concurso.

Ao som do DJ Pieter Gabriel, de 16 anos, os concorrentes desfilaram pelo palco. Durante a ‘flag parade’, os apresentadores Chantal Janzen, Edsilia Rombley, Jan Smit and Nikkie de Jager cantaram e fizeram-se acompanhar por bailarinos.

Depois de todas as atuações e da abertura das linhas telefónicas, DJ Afrojack, Wulf, e Glennis Grace, representante dos Países Baixos em 2005, subiram ao palco na grande final do Festival Eurovisão da Canção. O palco foi transformado na Ponte Erasmo, ou mais conhecida por “O Cisne” e ao som de “Titanium”, de David Guetta e Sia, animaram o público presente na arena.

A organização decidiu homenagear o público presente na arena, depois de um ano em que não houve concurso devido à pandemia da COVID-19. No vídeo, é possível ver imagens dos fãs eurovisivos na edição de 2018, em Lisboa, bem como Filomena Cautela na Green Room. “Melhor publico do mundo: Obrigado”, admite a voz-off.

Foram ainda recordadas seis atuações de antigos vencedores do Festival Eurovisão da Canção. Helena Paparizou (“My Number One”, 2005), Lordi (“Hard Rock Hallelujah”, 2006), Mans Zelmerlöw (“Heroes”, 2015), Sandra Kim (“J’aime La Vie”, 1986), Lenny Kuhr (“De Troubadour”, 1969) e Teach-Inn (Ding-A-Dong, 1975). As atuações foram gravadas no cimo dos edifícios Maassilo, Hotel Newy York e do museu Boijmans Van Beuningen Depot.

Antes da revelação das votações, Duncan Laurence, vencedor da edição de 2019, recordou o tema “Arcade” e o seu novo single “Stars”. O cantor testou positivo à COVID-19 na quarta-feira (19), o que obrigou a que foi transmitida a atuação gravada durante os ensaios.

VEJA AS ATUAÇÕES

1. Chipre: Elena Tsagrinou – “El Diablo”

“El Diablo” foi a primeira canção a ser ouvida na final do Festival Eurovisão da Canção – Elena Tsagrinou, a representante do Chipre abriu o desfile de atuações.

2. Albânia: Anxhela Peristeri – “Karma”

Anxhela Peristeri, com o tema “Karma”, será a segunda a atuar. A Albânia, desde 2004, nunca venceu o concurso televisivo – a melhor qualificação foi um 5.º lugar, em 2012.

3. Israel: Eden Alene – “Set Me Free”

Eden Alene foi a escolhida para representar Israel na Eurovisão – país decidiu manter a artista que iria atuar em 2020. Com “Set Me Free”, a cantora garantiu uma lugar na final.

4. Bélgica: Hooverphonic – “The Wrong Place”

Os Hooverphonic representaram este ano a Bélgica com o tema “The Wrong Place”.

5. Rússia: Manizha – “Russian Woman”

Seguiu-se a Rússia no desfile das canções a concurso. Para tentar vencer o festival, o país apostou em Manizha para interpretar o tema “Russian Woman”.

6. Malta: Destiny – “Je Me Casse”

Destiny, representante de Malta, esteve várias semanas no primeiro lugar das principais casas de apostas. Com apenas 18 anos, a cantora, que venceu o Festival Eurovisão da Canção Júnior 2015, animou o público na arena com o tema “Je Me Casse”.

7. Portugal: The Black Mamba – “Love Is On My Side”

Os portugueses The Black Mamba subiram ao palco para apresentar o tema “Love Is On My Side”. A atuação da banda foi uma das mais elogiadas pelos espectadores.

8. Sérvia: Hurricane – “Loco Loco”

Hurricane, representante da Sérvia, conquistou um lugar na final com “Loco Loco”.

9. Reino Unido: James Newman – “Embers”

Este ano, O Reino Unido escolheu James Newman para tentar somar mais uma vitória no Festival Eurovisão da Canção. O tema “Embers” contou em palco com dois saxofones gigantes.

O cantor inglês ganhou, em 2014, nos Brit Awards, o prémio de “Single Britânico do Ano” como co-escritor da canção “Waiting All Night”, da banda inglesa Rudimental.

10. Grécia: Stefania – “Last Dance”

Stefania, que este ano representa a Grécia, foi a décima artista a subir a palco com “Last Dance”. Para a atuação, a jovem, que já participou no Festival Eurovisão Júnior, apostou em efeitos visuais com recurso a chroma key (fundo verde).

11. Suíça: Gjon’s Tears – “Tout l’Univers”

Gjon’s Tears, que representa a Suíça, partiu para a final do Festival da Eurovisão como o grande favorito da segunda semifinal. Em palco, o cantor defenfeu bem o seu tema “Tout l’Univers”.

12. Islândia: Da∂i Freyr og Gagnamagni∂ – “10 Years”

Da∂i Freyr og Gagnamagni∂ representam este ano a Islândia com o tema “10 Years”. Tal como na segunda semifinal, a banda não atuou ao vivo na grande final do concurso. Um dos elementos do grupo testou positivo à COVID-19 na quarta-feira, o que obrigou a que foi transmitida a atuação gravada durante os ensaios.

13. Espanha: Blas Cantó – “Voy A Querdarme”

Blas Cantó foi o escolhido para defender as cores da Espanha no festival e apresentou o tema “Voy A Querdarme”.

14. Moldávia: Natalia Gordienko – “SUGAR”

Natalia Gordienko, com o tema “Sugar”, foi a escolhida para representar a Moldávia. Acompanhada por quatro bailarinos vestidos de preto, a cantora atuou no centro do palco, em cima de uma plataforma giratória.

15. Alemanha: Jendrik – “I Don’t Feel Hate”

“I Don’t Feel Hate” é o tema que representa este ano a Alemanha. O cantor Jendrik, a aposta da Alemanha, um dos ‘Big Five’, foi o escolhido para viajar até Roterdão.

16. Finlândia: Blind Channel – “Dark Side”

Diretamente da Finlândia para a Ahoy Arena, os Blind Channel conquistaram o público presente com o tema “Dark Side”.

17. Bulgária: Victoria – “Growing Up is Getting Old”

A Bulgária apresentou uma das atuações mais marcantes da noite. No palco da Eurovisão, Victoria apresentou o tema, “Growing Up is Getting Old”.

18. Lituânia: The Roop – “Discoteque”

Os The Roop conquistaram a Lituânia com o tema “Discoteque” e conseguiu um lugar na final do Festival Eurovisão da Canção, em Roterdão. Em palco, a banda usou fatos amarelos e apresentou a canção que fala sobre dançar sozinho em casa.

19. Ucrânia: Go_A – “Shum”

Seguiu-se a Ucrânia no desfile das canções a concurso na final do Festival da Eurovisão. Os Go_A decidiram em apostar em “Shum”.

20. França: Barbara Pravi – “Voilà”

França também faz parte dos ‘Big Five’, países que têm acesso direto à final. Barbara Pravi, da França, vai apresentar “Voilà” no palco da arena de Roterdão. A canção tem sido elogiada pelos fãs eurovisivos.

21. Azerbaijão: Efendi – “Mata Hari”

O Azerbaijão é o décimo primeiro país a apresentar a sua canção. Efendi apresenta o tema “Mata Hari”.

22. Noruega: TIX – “Fallen Angel”

Depois de conquistar os noruegueses, TIX  decidiu arriscar-se no Festival Eurovisão da Canção com “Fallen Angel”.

23. Países Baixos: Jeangu Macrooy – “Birth of a New Age”

Depois de Duncan Laurence, Jeangu Macrooy é aposta dos Países Baixos para representar o país na Eurovisão. “Birth of a New Age” foi o tema a concurso.

24. Itália: Måneskin – “Zitti E Buoni”

“Zitti E Buoni” foi a 24ª canção a ser apresentada na final do Festival da Eurovisão. Måneskin, da Itália, é um dos grandes favoritos da edição de 2021 do certame e foi recebido com entusiasmo no palco.

25. Suécia: Tusse – “Voices”

O penúltimo artista a subir a palco foi Tusse, escolhido para representar a Suécia em Roterdão. No palco, o cantor apresentou “Voices”.

26. São Marino: Senhit – “Adrenalina”

Acompanhada por quatro bailarinos mascarados, Senhit, que nasceu em Itália, teve a missão de fechar a grande final do Festival Eurovisão da Canção. A cantoria apresentou “Adrenalina” e teve ao seu lado o rapper norte-americano Flo Rida.

A EUROVISÃO EM ROTERDÃO

Há dois anos, a 18 de maio de 2019, Netta Barzilai entregava o galardão do Festival Eurovisão da Canção a Duncan Laurence, que representava Países Baixos com o tema “Arcade”. Depois de um ano de incertezas, devido à pandemia da COVID-19, a organização confirmou que a edição de 2021 concurso de música, considerado um dos maiores do mundo da televisão, se iria realiza-se com as medidas implementadas pelas autoridades holandesas.

A cidade acolhe pela primeira vez o evento e, segundo a organização, foi escolhida num processo no qual também era candidata a cidade de Maastricht. Esta é a quinta vez que aquele país venceu o concurso, depois dos triunfos em 1957, 1959, 1969 (‘ex aequo’ com Espanha, Reino Unido e França) e 1975.

A primeira semifinal do Festival Eurovisão da Canção está marcada para esta terça-feira, dia 18 de maio. Já a segunda parte está agendada para 20 de maio e a cerimónia da final do concurso musical acontece no dia 22 de maio.

Ao todo serão 39 os países em competição e, de modo a garantir que o concurso acontece mesmo, os concorrentes gravaram as atuações nos seus países, para poderem participar caso não fosse possível viajarem para Roterdão.

A gravação, entregue previamente pelas estações de televisão participantes (no caso de Portugal é a RTP), teve de “acontecer num estúdio e em tempo real (tal como seria no concurso), sem qualquer edição da voz ou de qualquer parte da atuação, depois de esta ser gravada”.

A organização terá de utilizar a gravação de pelo menos um dos 39 países: a Austrália, cuja delegação se viu impedida de viajar para os Países Baixos.

As duas semifinais e a final vão ter público a assistir ao vivo, tendo a organização colocado à venda este mês 3.500 bilhetes por espetáculo. Além disso, de acordo com informação disponível no ‘site’ oficial do Festival Eurovisão da Canção, o Governo dos Países Baixos autorizou a organização a ter também público em seis ensaios.

Este ano, “todas as delegações, artistas e equipa de produção seguem um protocolo rigoroso e não terão contacto com elementos do público”.

Com “Love is on my side” Portugal leva à Eurovisão, pela primeira vez, uma canção integralmente em inglês, composta por Tatanka, o vocalista dos The Black Mamba.

Este ano assinala-se a 65.ª edição do concurso, no qual Portugal participou a primeira vez em 1964, tendo entretanto falhado cinco edições (em 1970, 2000, 2002, 2013 e 2016).

Entre 2004 e 2007, inclusive, e em 2011, 2012, 2014 e 2015, Portugal falhou a passagem à final.

Portugal venceu pela primeira e única vez o Festival Eurovisão da Canção em 2017, com o tema “Amar pelos dois”, interpretado por Salvador Sobral e composto por Luísa Sobral. Na sequência da vitória, Lisboa acolheu, no ano seguinte, o concurso.

, The Black Mamba já atuaram na final da Eurovisão: veja aqui a atuação

The Black Mamba já atuaram na final da Eurovisão: veja aqui a atuação

, Itália: vencedor da Eurovisão submetido a despistagem de drogas

Itália: vencedor da Eurovisão submetido a despistagem de drogas