CA Notícias
Canal Alternativo de Notícias, as últimas notícias do mundo do desporto, da tecnologia e do entretenimento.

Filipe Mendes: “Este é o clube do meu coração”

Filipe Mendes está de volta ao Restelo e falou à equipa de comunicação da SAD.


Filipe Mendes mudou-se no final da temporada passada para o Real Massamá, emblema que representou nos últimos seis meses, mas garante que apesar de ter saído com alguma mágoa, nunca deixou de acompanhar o Clube, algo que já faz desde criança.

Neste regresso Filipe Mendes, quer jogar com regularidade e manter-se afastado de lesões e assim ajudar a equipa a alcançar a melhor classificação possível no que resta das competições, começando já frente ao Moreirense com um vitória.

Filipe Mendes está de regresso ao Restelo. Depois do empréstimo ao Real Massamá, onde sofreu apenas dois golos nos 13 jogos realizados, o guardião, que vai para a quinta temporada ao serviço do Belenenses, confessa ser um regresso a casa e um orgulho poder voltar a vestir a camisola da Cruz de Cristo. Já em estágio com a equipa, não esconde a alegria de reencontrar velhos amigos no clube do coração, de onde sente nunca ter saído. E dá o mote para o jogo de quinta-feira: “Quem representa o Belenenses, sabe que só pode ter ambição de vencer!”

Depois do empréstimo ao Real Massamá na primeira metade da temporada, como vês este regresso ao Belenenses?
– Com muito agrado e satisfação. Sinto que, às vezes, vale a pena dar um passo atrás para depois dar dois em frente. Acredito que, com muito trabalho e dedicação, as coisas aparecem naturalmente.

Não deixaste de acompanhar a equipa?
– Nunca. Já acompanho o Belenenses desde a minha infância e agora não é diferente. É um clube que me diz muito e também à minha família. Claro que este amor ainda ficou mais forte a partir de 2012, altura em que tive a felicidade de assinar pelo Belenenses.

O que te fez voltar?
– Quando fui emprestado no inicio da época, fiquei com alguma mágoa, mas agora surgiu esta oportunidade e não hesitei. O interesse que demonstraram, sobretudo o presidente Rui Pedro Soares que falou comigo, foi fundamental no meu regresso.

Em 13 jogos nesta época, sofreste apenas dois golos. Este registo e as boas exibições também foram fundamentais para este regresso?
– Penso que esse registo é fruto de um trabalho diário e da qualidade da equipa. O meu objetivo sempre foi ajudar a equipa e penso que foi bem conseguido. Por outro lado, acredito que o facto de as coisas me estarem a correr bem em Massamá também teve influência.

Esta é a quinta temporada consecutiva ao serviço do Belenenses. Pode-se dizer que voltaste a casa?
– Sim, esta é a minha casa. Sinto-me muito bem no Belenenses e tudo farei para continuar por mais épocas.

O que representa voltares a vestir esta camisola?
– É sempre um grande orgulho vestir esta camisola. Este é o clube do meu coração, da minha família e há-de ser também o dos meus filhos.

Aos 31 anos, a tua experiência é uma mais-valia para a equipa?
– Espero que assim seja! Depois da minha passagem pelo Real, sinto que sou um jogador mais maduro. Estou no Belenenses de corpo e alma e quero ser mais um para ajudar a alcançar todos os objetivos.

Como foi a receção?
– Fui muito bem recebido. Tenho aqui muitos amigos e felizmente voltei a encontrá-los. Sinto que estou cá desde o início, porque nunca deixei de estar em contacto. Por norma, as pessoas são sempre bem recebidas nesta casa. Faz parte da nossa cultura.

Este mini-estágio é importante para a tua reintegração e para reforçar o espírito de grupo?
– Os estágios são sempre bons para fortalecer o espírito de grupo. Passamos mais tempo com os nossos colegas e, assim, também podemos conhecermo-nos melhor.

Um estágio que antecede o último jogo do Belenenses em 2016, na próxima quinta-feira, frente ao Moreirense, para a 2.a jornada da fase de grupos da Taça CTT. Que antevisão fazes para esta partida?
– Quem representa o Belenenses, sabe que só pode ter ambição de vencer e para este jogo não será diferente. Depois do empate com o FC Porto (0-0), podemos ter aqui uma oportunidade de fazer história e passar às meias-finais. Só dependemos de nós, por isso vamos atrás disso.

O que esperas para 2017?
– No plano individual, espero jogar e não ter nenhuma lesão. Coletivamente, espero que o Belenenses consiga alcançar a melhor classificação possível. O plantel tem muita qualidade, por isso acredito que estamos no bom caminho.