REQUISITAR CRÉDITO PESSOAL COM PROBLEMAS BANCÁRIOS: É POSSÍVEL?

REQUISITAR CRÉDITO PESSOAL COM PROBLEMAS BANCÁRIOS: É POSSÍVEL?

Em alguns instantes das nossas vidas é possível que nos encontremos com problemas bancários e, ainda assim, precisemos de um empréstimo. É comum a dúvida se a obtenção de um crédito pessoal é possível nestes momentos, mas podes ficar tranquilo.

Apesar de não ser tão fácil quanto se estivesses numa situação financeiramente estável, é sim possível obter-se um empréstimo quando se possui problemas bancários e precisas de credito pessoal rápido.

O QUE FAZER PARA AMENIZAR MINHAS DÍVIDAS?

Caso estejas com dificuldade em cumprir teus pagamentos mensais podes contactar a instituição financeira com a qual possui dívidas para tentar negocia-las. Isto porque possuis direitos à proteção, como cliente bancário, em casos de incumprimento de pagamentos.

Além disso, é possível realizar a consolidação de teus créditos. Caso possuía mais de um empréstimo em mais de uma instituição financeira, poderás uni-los em uma, permitindo-lhe aumentar aumentar o prazo de teu pagamento e diminuir a prestação mensal de tuas dívidas. Esta manobra, entretanto, irá aumentar o teu MTIC, o custo total do crédito.

COMO POSSO CONSEGUIR UM EMPRÉSTIMO COM PROBLEMAS BANCÁRIOS?

É muito comum que bancos e instituições financeiras neguem pedidos de empréstimos daqueles que possuem problemas bancários, especialmente se estes problemas forem vinculados às mesmas.

Entretanto, isto não é uma regra. Diferentes bancos e instituições possuem suas próprias regras e requisitos para a contratação de um crédito pessoal. É possível que, ao pesquisar e compara-los, encontre uma instituição que aceite teu pedido mesmo possuindo problemas bancários. Faça uma análise cuidadosa das condições oferecidas para encontrar uma empresa confiável como Cofidis.

É importante saberes, entretanto, que como possuis problemas bancários as instituições poderão exigir garantias para te ceder o crédito requisitado, com o objetivo de assegurar que o mesmo será devolvido.

Esta garantia poderá ser feita na forma de um fiador que se comprometa a realizar o pagamento em teu nome, em casos de incumprimento da dívida. Também poderá ser feita utilizando-se de teus bens móveis de valor, imóveis ou mesmo da subscrição de um seguro de vida, que serão penhorados para quitar a dívida caso a mesma não seja paga.

E COMO É POSSÍVEL OS BANCOS SABEREM DE MEUS PROBLEMAS BANCÁRIOS?

Quando requeremos um empréstimo é realizado, pelos bancos e instituições financeiras, uma análise do risco que apresentamos como clientes para os mesmos. Através desta análise é que decidem se o crédito será ou não cedido.

Para chegar a esta conclusão final, são avaliados diversos fatores. O teu comportamento financeiro é um dos fatores mais relevantes nesta análise. Estas organizações estudam se costumas pagar tuas dívidas em dia e se já tivestes problemas bancários no passado ou se os possui no presente momento.

Além disto, as mesmas também estudam os teus movimentos bancários recentes, a fim de detectar comportamentos que apresentem riscos a tua capacidade de honrar com seus pagamentos. Se, por exemplo, tu és viciado em jogatinas e costumas apostar regularmente em casinos e casas de jogos, teu pedido de crédito pessoal poderás ser rejeitado. Isto porque tais comportamentos poderão dificultar que realizes os pagamentos mensais do empréstimo na data a ser acertada.

Com o fim de descobrir estes dados as instituições financeiras costumam recorrer à CRC do Banco de Portugal, a Central de Responsabilidades de Crédito. A CRC possui todos os teus créditos passados e atuais e os agrega no MRC – Mapa de Responsabilidades de Crédito.

É interessante saber que tanto os bancos, as instituições financeiras e os próprios clientes podem ter acesso ao MRC, caso assim desejem.

DICAS PARA EVITAR NOVOS PROBLEMAS BANCÁRIOS:

Para que possas evitar novos problemas bancário é extremamente importante que possuas o completo controle de tuas finanças. Calcule quanto dinheiro tu e tua família arrecada todo mês e o quanto gastam neste período. Avalie o que, dentro destes gastos, são realmente necessários e o que pode ser diminuído ou mesmo eliminado.

Caso haja sobra neste montante, não os desperdice com futilidades. Separe parte do mesmo para imprevistos futuros e para que possas investir em si mesmo e em tua família.

Analise tuas dívidas e o que podes fazer para reduzi-las. Considere todas as possibilidades, desde a renegociação individual ao agrupamento das mesmas em uma única instituição financeira. Pense em qual opção será mais vantajosa para ti.

Se, entretanto, apesar de teus maiores esforços, encontrar-te novamente com problemas bancários e entrar em incumprimento, é possível que recorrer ao PERSI – acordo com o banco para regularização de dívidas. Também pode ser possível pedir-se ajuda à Rede de Apoio ao Cliente Endividado do Banco de Portugal.