in ,

“Linhas de Sangue”: Espetadores decidem pela primeira vez final do filme

Linhas de Sangue: Espetadores decidem pela primeira vez final do filme, “Linhas de Sangue”: Espetadores decidem pela primeira vez final do filme

Pela primeira vez em Portugal, os espetadores decidem, em tempo real, o final de um filme no cinema. Numa iniciativa conjunta das NOS Audiovisuais e da NOS Cinemas, os espetadores vão decidir o final de ‘Linhas de Sangue’, que estreia em Portugal amanhã.

Pela primeira vez em Portugal, o final de um filme será escolhido, em tempo real, pelos espetadores. Esta iniciativa inovadora decorre de 26 a 29 de julho, nas sessões de “Linhas de Sangue”, nos Cinemas NOS Colombo (21h30), Cinemas NOS Braga Parque (21h10), Cinemas NOS Norte Shopping (21h10) e Cinemas NOS Fórum Algarve (21h40). No início de cada sessão, cada espetador recebe um comando, através do qual escolherá um de dois finais possíveis. O final mais votado será aquele que será exibido.

Dos realizadores Manuel Pureza e Sérgio Graciano, “Linhas de Sangue” é uma comédia nonsense que conta com 54 conceituados atores portugueses como Catarina Furtado, Débora Monteiro, Joaquim Horta, José Fidalgo, José Raposo, Marina Mota, Miguel Costa, Paulo Pires, entre muitos outros.

Passado em Portugal, em 2018, o filme conta a história de diferentes casos estranhos, de alguma forma, ligados entre si. Felizmente, aqui e ali surgem heróis, mais ou menos acidentais, que salvam o dia e que defendem os mais fracos e necessitados. Manuel Chança, uma velha glória de uma força especial portuguesa, reúne estes vários “sobredotados” e forma uma frente de defesa nacional, pronta para responder a qualquer provocação ou tentativa de ataque à soberania do país. O grande final é decidido pelo espetador nos cinemas assinalados.

, Netflix estabelece o seu 1.º centro de produção Europeu em Madrid

Netflix estabelece o seu 1.º centro de produção Europeu em Madrid

, Hat Weekend tem regresso marcado, a São João da Madeira em 2019

Hat Weekend tem regresso marcado, a São João da Madeira em 2019