in , ,

Huawei Media Pad M5 (COM VÍDEO)

, Huawei Media Pad M5 (COM VÍDEO)

Com o constante aumento de vendas de smartphones com ecrãs cada vez maiores, sabemos muito bem o que pensa quando falamos em “tablets”: “porquê um?”. Ora, para muita gente que passa a vida a viajar, sem a necessidade de ter um PC, ou para quem não tem a TV sempre disponível (sempre ocupada com novelas e/ou futebol, certo?), um tablet é perfeito. Mas será este Huawei MediaPad M5 a escolha perfeita para quem procura o melhor dos tablets? Descubra no vídeo:

Design

A parte frontal do tablet pode não ser nada de muito diferenciador, admitimos. Margens pretas, botão de impressão digital e uma câmara frontal são as únicas coisas que vemos. Mas quando passamos para a parte traseira, aí é música para os nossos ouvidos – literalmente.

Esta traseira é feita de alumínio e, com a maior honestidade, é linda! Os acabamentos que revelam as potentes colunas Harman/Kardon, o logo desta marca, a câmara traseira e ainda a entrada especial para teclado próprio da Huawei (acabamento em dourado), tudo combina na perfeição, conseguindo fazer de um tablet de 10.8” uma peça de tecnologia bem bonita.

No entanto, nem tudo é brilhante. Uma das coisas que menos gostámos foi de ver (e de sentir) os botões de volume e o power button localizados no lado do leitor de impressão digital e não em altura. Ora, quando agarramos o tablet com orientação landscape, isto resulta em toques acidentais nas nessas teclas, resultando num aumento ou diminuição de volume ou ainda num desligar de ecrã acidental. E estava tão perto de ser perfeito, este design! Ah… e o headphone jack? Onde está?

Ecrã

É natural que, em termos de concentração de píxeis, este tablet não consiga acompanhar tablets mais pequenos ou até smartphones. Apesar de ter um ecrã 2k (2560X1600 pixels), este tem 10.8”, o que faz com que a concentração de “pixels per inch” não seja tanta quando comparada com outros equipamentos mais pequenos. Mas não se engane! Este tablet apresenta um bom ecrã, com bons ângulos de visão, com pretos bem pretos, o que faz com que tenhamos uma boa experiência de media.

Adiantamos ainda que a única forma de notarmos os píxeis é se nos aproximarmos muito do ecrã. Para uns pode chatear, mas para a maioria não haverá qualquer problema.

Câmara

O Huawei MediaPad M5 tem duas câmaras, uma frontal de 8MP e uma traseira de 13MP. Nenhuma delas é excelente, mas disso já todos estávamos à espera, não é verdade? Afinal, quantos malucos é que vocês já viram a tirar fotos ou selfies na rua com um tablet? Servem maioritariamente para chamadas via skype ou outra plataforma do género e já é suficiente.

SO

Com o Android 8.0 Oreo, podemos contar com uma boa experiência, apesar de ter o conhecido EMUI usado pela Huawei. Algumas pessoas não gostam, mas nós não temos qualquer queixa, pelo contrário!

Adorámos os controlos por gestos no botão de impressão digital, o que nos livra dos “botões de android” de voltar atrás, home e aplicações abertas – e assim não precisamos de recorrer ao ecrã.

Não tivemos nenhum problema a usar o SO, sendo sempre tudo fluído e bem bonito – apesar de gostarmos de ter visto uma gaveta para TODAS as apps, em vez de estarem todas no ecrã principal.

Memória

Em teoria, a memória RAM deste modelo parece pouca para um tablet deste valor: 4GB. No papel, parece ser algo do outro mundo, porque o Android puxa muito pela RAM. No entanto, a verdade é que não precisámos da RAM toda durante os nossos testes – e acreditem que levamos os equipamentos à exaustão, ou perto disso.

Já a memória interna é de 32GB de ROM – é pouco, muito pouco. Poderia ter facilmente 64GB ou 128GB, mas a Huawei decidiu cortar nestes pontos do Huawei MediaPad M5. Para os que precisam de ver este armazenamento largamente aumentado (que será a grande maioria das pessoas), a Huawei proporcionou a inserção de um cartão MicroSD até 256GB.

CPU

Este é garantidamente um dos melhores pontos deste tablet. Um ARM Kirin 960, capaz de suportar qualquer app que lhe seja atirada, é a jóia deste Huawei MediaPad M5.

Super rápido e muito eficiente, ajuda muito no bom resultado no Benchmark Antutu, quase nos 170 mil pontos. Tendo em conta que é um tablet que custa bem menos do que os smartphones de topo, não nos parece um mau resultado. Na realidade, até é dos melhores resultados que encontramos num tablet Android.

GPU

No que toca à parte gráfica deste tablet, temos nos bastidores um ARM Mali-G71 MP8 de 8 cores. Apesar de ter uma boa performance, claramente acima da média quando comparada com a da maioria dos smartphones/tablets, a verdade é que gostaríamos de ver melhores resultados.

Testámos o Player Unknown Battlegrounds, um dos jogos graficamente mais exigentes do momento, e as definições foram definidas automaticamente para “médias”.

O gameplay poderia ter sido mais fluído, tendo uns ocasionais breaks, mas nada que prejudique substancialmente a jogabilidade. Digamos que para aqueles mesmo exigentes, os hardcore gamers, talvez este tablet não agrade. Mas para os jogadores ocasionais, que procuram jogar de vez em quando no sofá (ou até naquelas visitas ao WC, não é?), apresenta resultados acima da média.

Som

Tal como dissemos anteriormente, as colunas Harman/Kardon são absolutamente inacreditáveis. O som é cheio, os graves são profundos e sonantes, pecando apenas um pouco nos médios, já que os altos também têm uma boa performance.

Na realidade, não se encontram colunas desta qualidade em nenhum outro tablet, o que significa que este Huawei MediaPad M5 apresenta o melhor som do mercado – e não temos a mínima dúvida disso! Depois de ouvirmos estas colunas, é difícil não dar os parabéns à Huawei. Incrível!

No entanto, não há nem sinal do headphone jack… 🙁

Bateria

7200 mAh é o que encontramos na bateria deste Huawei MediaPad M5. No nosso caso, durou entre 6 a 7 horas de ecrã ligado, o que é óptimo, tendo em conta que estivemos sempre ligados à Internet e com o brilho do ecrã quase no máximo.

Além disto, a bateria deste tablet é quick charge, o que significa que irá carregar mais depressa (e com menos perda de energia, ou seja, com maior eficácia) do que uma bateria convencional – carrega em menos de 3 horas, segundo os nossos testes.

Modo Desktop

Além de tudo isto, o Huawei MediaPad M5 conta com um modo desktop, o que, tal como o próprio nome indica, permite transformar o tablet para um “modo PC”, digamos assim. O propósito da Huawei é fazer com que o utilizador adquira o teclado próprio (que não estava incluído no nosso equipamento e que, por isso, não conseguimos testar) e que use o equipamento como se fosse um portátil. Na nossa opinião, serviria para “desenrascar” na perfeição, seja para trabalhos de texto (para estudantes tirarem notas, por exemplo) ou consulta de páginas web. No entanto, para as tarefas do dia-a-dia a nível profissional não consideramos um game-changer.

Podemos ligar qualquer teclado/rato ao sistema através de um dongle USB/USB-C e usar este modo com toda a calma. Verdade seja dita: é melhor ter este modo do que não o ter. E, acreditamos, será útil para algumas pessoas em algumas situações pontuais.

Preço

O preço deste tablet está na casa dos 400€. Claro que é possível encontrá-lo em alguns sítios por um pouco menos, mas não foge muito deste valor.

 

Veredicto

Na nossa opinião, é o melhor tablet Android de 10” para media. Se procura um tablet para ver filmes, séries, navegar na internet e até tirar notas: não há melhor que este. Claro que há outras opções quase tão boas como esta, mas a verdade é que a combinação deste ecrã com as colunas (o som é só divinal!) e com a bateria não dá hipótese a mais nenhum equipamento.

E, contra factos, não há argumentos.

, Primeiro poster e Teaser de “DUMBO” já disponíveis

Primeiro poster e Teaser de “DUMBO” já disponíveis

, Benfica começa Champions na Luz com o Bayern, Porto visita o Schalke 04

Benfica começa Champions na Luz com o Bayern, Porto visita o Schalke 04