Juniores: Injustiça dita as regras perante boa exibição “azul”

A equipa de juniores do Belenenses, perdeu hoje em casa com o Sporting, por duas bolas a uma. Com este resultado, a equipa da cruz de cristo perde a liderança do campeonato, que é agora ocupada pelos de Alvalade que têm mais 3 pontos. Porém, a história do jogo não morre aqui. A injustiça foi a palavra de ordem no duelo de líderes.

- Publicidade -

O jogo começou numa toada muito confusa. Muitas perdas de bola de parte a parte, um terreno muito escorregadio que não permitia bola pela relva e alguma falta de ideias de ambas as equipas. O Sporting estava mais activo no jogo, algo instalado no meio-campo dos da casa, mas sem causar qualquer perigo. O golo surgiu passado uns minutos desse pequeno “sufoco” dos leões. Uma boa combinação entre os 3 homens da frente, soltou o extremo que, isolado, atirou a contar. Estava feito o 0-1. A partir desta altura o Belenenses foi mais aguerrido, sempre utilizando muito os extremos mas não chegando com grande efectividade ao último terço. As bolas divididas eram todas ganhas pelos de alvalade que se fizeram valer do físico dos seus jogadores. Até ao intervalo não existiram grandes lances de perigo de qualquer dos lados. Um jogo muito mexido, mas pouco conciso e racional.

No recomeço do tempo regulamentar, os acontecimentos alteraram-se por completo. O Belenenses entrou com a cara lavada, mandão, perigoso e com vontade. Tudo isso culminou no golo que surgiu nos primeiros minutos do segundo tempo. Uma fantástica jogada de ataque, que culminou com Pedro Marques – um dos maiores destaques da tarde -, a assistir Heriberto, que com toda a calma do mundo, atirou a contar. Estava feito o empate e reposta alguma justiça no encontro. A partir do golo, só uma equipa esteve efectivamente por cima: os da casa. O pendor ofensivo pertencia totalmente à equipa azul, que dispôs de mais 4 ou 5 ocasiões de golo que só não deram por manifesto azar. Os jogadores do Sporting estavam constantemente a “matar” o ritmo de jogo com faltas sucessivas, que foram habilmente ignoradas pela – péssima – equipa de arbitragem. O golo que viria a colocar tudo num ponto superior de injustiça, surge através de uma bola parada cobra do lado direito. Muita confusão na área, a bola sobra para um jogador do Sporting, que fuzila o guardião azul. Até ao fim o Belenenses ainda tentou inverter o rumo dos acontecimentos, ainda que sem sucesso.

Para trás fica a boa imagem deixada pela equipa e a qualidade individual de alguns jogadores. Há talento no Restelo. E muito. A formação não vive de resultados, como tal, este jogo vale pelo que foi no seu todo e pelo que mostrou: um Belenenses superior em todos os aspectos de jogo. A vitória só fugiu por culpa da falta de sorte e de um “roubo de igreja” protagonizado pelos profissionais do apito.

- Publicidade -