CA Notícias
Canal Alternativo de Notícias, as últimas notícias do mundo do desporto, da tecnologia e do entretenimento. Os últimos resultados, lançamentos, estreias.

Crítica Teatro – “Testamento”, de Colm Tóibín

Testamento, de Colm Tóibín, é uma produção da associação Teatro Livre, com encenação de Beto Coville e interpretação de Luísa Ortigoso. Estará em cena até ao dia 23 de junho nas ruínas do Teatro Romano, em Lisboa.


O texto de Colm Tóibín, com tradução de Miguel Nobre de Carvalho, é um monólogo que oferece ao público uma viagem desconcertante e emotiva através de uma história já conhecia, mas agora (re)contada de forma a dar voz a uma personagem que, historicamente, não é conhecida na primeira pessoa. E se Maria tivesse falado?

No texto sobressai a intenção de mostrar o lado mais humano de Maria e, consequentemente, de Jesus. É um texto feito no feminino, com referências às mulheres do Novo Testamento e à sua importância na história descrita nos evangelhos. Todos os elementos do espetáculo dirigido por Beto Coville sublinham e valorizam este conteúdo textual.

Luísa Ortigoso dá voz a Maria neste espetáculo. A sua performance é rigorosa, emotiva e cativante. Ao longo de mais de hora e meia, a atriz mostra o lado mais humano de Maria. Uma mulher que vive um turbilhão de emoções fruto do seu sofrimento e das suas decisões. A interpretação de Luísa Ortigoso mostra essas várias emoções – angústia, dor, amor, ternura, exaustão, arrependimento – através de uma mutação constante de estados emocionais, proporcionando ao público uma experiência única.

As opções cénicas de Beto Coville são simples, mas eficazes. O próprio local – as ruínas do Teatro Romano – já oferece uma atmosfera única ao espetáculo. Esta atmosfera é complementada por alguns elementos cénicos que se enquadram harmoniosamente com o local e com as movimentações da atriz. O conjunto transmite uma imagem cativante, envolvendo o público no espírito da peça.

O espetáculo tem acompanhamento musical ao vivo com o violoncelista Davide Zaccaria. A música complementa de forma harmoniosa a interpretação de Luísa Ortigoso e contribui para a transmissão da mensagem proposta pelo texto e pela conceção do espetáculo.

90%
  • Aldomiro Silveira

X