CA Notícias, as últimas notícias do mundo do desporto, da tecnologia e do entretenimento. Os últimos resultados, lançamentos, estreias.

Penafiel-Belenenses, 1-3 (destaques)

A figura: Deyverson
Uma constante dor de cabeça para a defensiva do Belenenses. Tem 23 anos, chegou a Portugal para o Benfica B mas tem-se destacado na frente de ataque dos azuis do Restelo. Fundamente nos últimos jogos da época passada, surgiu em Penafiel como a unidade mais ofensiva e respondeu com pormenores de grande qualidade. Chegaria mesmo ao golo no reatamento, com um cabeceamento de belo efeito, sem hipóteses para Coelho.

- Publicidade -

O momento: segunda dose de Camará
O Penafiel tinha anulado a primeira desvantagem e prometia aumentar a pressão na etapa complementar. Porém, o Belenenses voltou a denotar maior clarividência nos processos ofensivos e marcou novamente ao quinto minuto. Mais uma assistência de Abel Camará, que jogou sobre a direita, e Deyverson a responder da melhor forma. Os locais não conseguiram responder.

Outros destaques:

Fábio Sturgeon
O seu posicionamento, no espaço entre os médios e os centrais do Penafiel, foi determinante para a boa entrada do Belenenses em campo. O jovem internacional português pretende afirmar-se no escalão principal e deixou um bom cartão-de-visita. Após 17 jogos e 0 golos na Liga 2013/14, o primeiro festejo ao quinto minuto de jogo em Penafiel. Bem a surgir na zona do ponta-de-lança para o desvio.

Ferreira
Aos 34 anos, o médio capitaneou o Penafiel neste regresso à Liga e derramou todas as gotas de suor possíveis. Jogou com Rafa nas suas costas, demorando a encontrar o seu espaço no terreno de jogo. Ainda assim, um dos mais esforçados.

Abel Camará
Duas assistências para um homem que costuma andar pelas áreas contrárias. Desta vez, surgiu no lado direito do ataque e comprovou a sua utilidade. Os adeptos do Belenenses, que não esquecem um episódio polémico do jogador na anterior passagem pelo clube, terão ficado agradados.

João Martins
Algo irregular, foi ainda assim o mais corajoso na hora de assumir riscos, procurando organizar o futebol penafidelense. O irmão de Carlos Martins marcou o golo do Penafiel, na cobrança de uma grande penalidade. Tentou.

Miguel Rosa
Jogou no flanco esquerdo do ataque do Belenenses e Tony sentiu enormes dificuldades para o travar. Na etapa complementar, Ricardo Chéu assumiu o risco e jogou sem o lateral direito, dando mais espaço a Rosa. Este viria a fixar o resultado final, a passe de Fredy.

X