CA Notícias, as últimas notícias do mundo do desporto, da tecnologia e do entretenimento. Os últimos resultados, lançamentos, estreias.

«É o clube ideal para mim», diz o defesa Palmeira

Mário Palmeia, defesa-central ex-Tondela e um dos reforços garantidos para os azuis na próxima época, consegue, aos 24 anos, o regresso à Liga principal do nosso futebol e, em conversa com A BOLA, não escondeu a sua felicidade.

O jogador formado nas escolas do SC Braga, e que, com José Peseiro ao leme dos arsenalistas do Minho, chegou mesmo a alinhar em dois jogos da principal equipa (diante de Gil Vicente e Sporting), espera afirmar-se entre os comandados de Lito Vidigal.

Jogador polivalente, após uma época conseguida no Tondela (Liga 2), onde cumpriu 39 jogos, Palmeira comprometeu com o Belenenses para as próximas duas temporadas, até junho de 2016. Os exames médicos foram realizados na última semana, a confirmação do vínculo foi dada pelos azuis depois, o jogador não cabe em si de contente.

«O Belenenses é o porto ideal para me afirmar. Era um desejo meu, de há muito, de voltar a jogar na Liga. Fiquei entusiasmado com o projeto que me apresentaram que me seduziu. Nem hesitei. Tive outras propostas, do estrangeiro, em particular da Polónia e da Roménia, financeiramente mais vantajosas, mas optei pela estabilidade e pela dimensão do Belenenses», disse o jogador a A BOLA.

«Afinal, tirando os três grandes, o Belenenses e o Boavista foram os únicos clubes que conseguiram ser campeões nacionais», afirmou o jogador, entusiasmado com o desafio.

«Onde gosto mais de jogar é a defesa central, é essa a minha escola e formação no SC Braga. Mas na última época, no Tondela, joguei metade da época a lateral-direito, e ainda fez um jogo a médio defensivo e outro a lateral esquerdo. É onde o treinador quiser. Mal vejo a hora de começar. Mas antes, agora, é tempo de ir de férias», afirmou-nos Mário José da Costa Palmeira. 

DOIS ‘JOÕES’ E UM BECKENBAUER

Transmontano (Vila Real), com passagens pela Escola Diogo Cão, Ribeirão, E. Amadora e Vizela, Palmeira prima pela humildade. 

«Serei mais um a ajudar o Belenenses. Sei que a concorrência é forte, para o meu lugar, há o João Meira e o João Afonso, para já, após a saída do Kay. Haverá, com certeza, oportunidades para todos jogarmos. Quem ganha é o clube», concluiu um jogador que confessa utilizar a estampa física (mede 187 centímetros…) nos duelos.

Mário Palmeira tem nos habituais defesas centrais do Real Madrid, Sérgio Ramos e Pepe, os seus ídolos a jogar na posição. 

Antes deles, a sua referência na posição era o kaiser, Franz Beckenbauer. «Beckenbauer foi uma das alcunhas que os adeptos do Tondela me colocaram [risos]», revelou-nos o jogador, agora reconvertido, a partir de 2014/15, numa torre do Restelo. «Espero ser muito feliz no Belenenses».

X